Comissão da Verdade conclui que Juscelino Kubitschek morreu em acidente de carro

Após uma investigação que durou dois anos, a Comissão Nacional da
Verdade chegou ? conclusão e anunciou, nesta terça-feira, que o regime
militar não teve participação na morte do ex-presidente Juscelino
Kubitschek, em 1976.

Uma das conclusões dá conta de que o carro que conduzia Juscelino e
seu motorista na ocasião, Geraldo Ribeiro, pela Via Dutra, colidiu de
frente com uma carreta, após ser atingido por um ônibus. O colegiado
ressaltou que este acidente provocou a morte do ex-presidente e de seu
motorista, afastando a hipótese de que ele teria sido vítima de um
atentado orquestrado pela ditadura militar.

“Não há nos documentos, laudos e fotografias trazidos para a presente
análise qualquer elemento material que, sequer, sugira que o
ex-presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira e Geraldo Ribeiro tenham
sido assassinados, vítimas de homicídio doloso. (…) O conjunto de
vestígios materiais indica que o ex-presidente Juscelino Kubitschek de
Oliveira e Geraldo Ribeiro morreram em virtude de um acidente de
trânsito”, diz o relatório divulgado pela comissão.

Os integrantes da comissão investigavam a morte de Juscelino desde
2012, quando a Seção de Minas Gerais da OAB pediu para apurar as
suspeitas de que o ex-presidente havia sido assassinado. Alguns dados
apontava, que a morte poderia não ter sido um homicídio.

Compartilhe