Em audiência na Câmara, Hage diz que não fala sobre Petrobras

O corregedor-geral da União (CGU), Jorge Hage, negou-se hoje (26),
durante audiência da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da
Câmara dos Deputados, a responder a perguntas sobre denúncias de
irregularidades na compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA) pela
Petrobras.

“Repetirei tantas quantas vezes a imprensa me pergunte: eu devo
tratar [do assunto], mas aqui eu vim tratar sobre organizações não
governamentais [ONGs]”, disse o ministro, em resposta a uma pergunta do
líder do DEM, Mendonça Filho (PE), sobre a questão. O deputado
questionou a demora da CGU em investigar o caso.

De acordo com o Regimento da Câmara, um ministro, quando convocado,
pode se ater ao objeto da convocação. No caso em questão, a audiência
tratava de convênios entre organizações sem fins lucrativos e o
Ministério do Trabalho e Emprego.

“Volto a dizer que me atenho ? s regras do regimento, e ninguém
colocará palavras na minha boca para dizer que não falei sobre isto e
aquilo. Falarei para a imprensa, não tenho nenhum problema para falar
sobre a Petrobras, no que concerne ? s minhas funções”, completou Hage.

A resposta gerou um princípio de bate-boca na comissão. Mendonça
Filho (DEM-PE) reagiu dizendo que o ministro estava “se recusando” a
responder ? pergunta.

Após intervenção da presidência da comissão, a audiência continuou
com a exposição do ministro a respeito de ações tomadas pelo governo
federal para combater irregularidades em repasses federais a ONGs.

Também participaram da audiência os ministros Manoel Dias, do
Trabalho e Emprego, e  Gilberto Carvalho, secretário-geral da
Presidência da República.

Compartilhe