Temendo vaias, Blatter não fará discurso na abertura da Copa

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, informou que a abertura da Copa
do Mundo de 2014, no dia 12 de junho, em São Paulo, não terá discursos.
Segundo o dirigente, a estratégia acontece para evitar possíveis vaias,
como na Copa das Confederações. O mandatário ainda comentou sobre os
protestos no Brasil e disse não ser “profeta”.

“Vamos fazer a cerimônia de uma maneira em que não aconteçam discursos”, disse ? agência alemã “DPA”.

Durante a abertura da Copa das Confederações, Blatter e a presidente
Dilma Rousseff foram vaiados pelos torcedores presentes no Estádio Mané
Garrincha, em Brasilía. O dirigente da Fifa chegou a pedir respeito do
público.

Uma possível vaia não é o único problema com que a Fifa se preocupa.
Diversos protestos ocorreram durante o período da Copa das Confederações
e a tendência é de que o número cresça na Copa do Mundo. Blatter disse
não ser “profeta” para saber se haverá ou não manifestações, mas
garantiu que a situação será bem diferente.

“Estou convencido que os protestos sociais não vão poder utilizar os
mesmos argumentos usados na Copa das Confederações, porque eles não são
válidos. Estou convencido de que a situação se tranquilizou”, afirmou.

Compartilhe