Pesquisa indica desejo de mudança, diz Campos

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), disse ontem, em Porto
Alegre, que a queda na aprovação do governo Dilma Rousseff (PT) indica
um desejo de mudança no país.

Pesquisa realizada pelo instituto Ibope entre 13 e 17 deste mês indicou
que a aprovação de Dilma caiu quatro pontos percentuais em dois meses,
de 43% para 39%. “Um traço comum das últimas pesquisas é que existe um
desejo de mudança. Outro é que a eleição ainda não chegou na pauta da
sociedade como questão central”, avaliou Campos, presidente nacional do
PSB e pré-candidato ? Presidência.

Ele disse, porém, não esperar que a economia, os protestos pelo país e
problemas com a Copa do Mundo afetem a imagem de Dilma. “Não precisa
torcer contra o Brasil para ganhar eleição. Vamos torcer a favor do
Brasil. Não precisa piorar nada, ter problema com a Copa. A decisão de
mudança já está tomada e foi sinalizada desde a outra eleição, quando
Marina [Silva] teve 20 milhões de votos”, disse Campos.

A ex-senadora Marina Silva, que ingressou no PSB de Campos após ter o
pedido de registro da Rede Sustentabilidade rejeitado, disse que o
pernambucano está em posição mais favorável do que ela esteve antes das
eleições presidenciais de 2010. “Em 2010, por essa data, eu estava com
3% [das intenções de voto]. O governador já está com 10%. A situação
está bem melhor que a minha. E eu cheguei a quase 20%”, disse Marina,
que chegou ao final do pleito com 19,3% dos votos válidos.

Campos e Marina participaram ontem de um seminário com integrantes do
PSB, da Rede e do PPS. O evento é o primeiro de uma série de cinco
encontros regionais que serão feitos para discutir programas de governo.
No discurso para a militância, Campos priorizou críticas ao governo
federal em temas como política energética, infraestrutura e controle da
inflação.

Compartilhe