Mantega diz que País pode ter resultados fiscais maiores

Em resposta ? preocupação dos analistas internacionais sobre o futuro da política fiscal brasileira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que, passado o período atual de vacas magras, o Brasil poderá ter resultados fiscais maiores nos próximos anos. Numa mudança de tom de discurso, o ministro afirmou que o mais importante para o governo é manter a solidez fiscal do que fazer uma política de estímulos econômicos dentro do ambiente mais estável.

Em teleconferência para investidores estrangeiros, o ministro disse que “aparentemente” as agências de rating receberam bem a meta fiscal de 2014 e que, com a solidez das contas públicas, o crescimento da economia e dos investimentos o rating brasileiro deverá ser mantido nas condições atuais.

Mantega destacou que, antes da crise financeira começar em 2008, o governo estava fazendo “altos” resultados primários, inclusive em 2008, quando o setor público fez uma superávit primário de 3,1%. “Passado desse período de vacas magras, nós podemos nos próximos anos voltar a ter resultados maiores. O mais importante é que, mesmo com resultados inferiores, nós continuamos reduzindo dívida líquida e bruta”, disse. “Esse é um objetivo da política fiscal que continua reduzindo o endividamento do Estado brasileiro, de modo que a economia fique mais sólida. Essa é a política que já vínhamos perseguindo de modo que continuaremos perseguindo no presente e no futuro”, acrescentou.

O ministro foi questionado sobre o impacto do ano eleitoral nas contas públicas. E respondeu que a economia de despesa será feita “independentemente de ano eleitoral”. “Não temos nos pautado pela questão política em relação ? s contas públicas. Temos feito em anos eleitorais esforços maiores ou menos dependendo das necessidades econômicas e não da questão política.

Compartilhe