STF volta a julgar Dirceu, Genoino e mais quatro réus do mensalão

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro
Joaquim Barbosa, abriu na tarde desta quinta-feira, 20, a sessão em que
serão julgados os recursos que podem livrar alguns dos principais
condenados no processo do mensalão da punição pelo crime de formação de
quadrilha. A tendência é que, com a chegada de dois novos ministros
desde o julgamento realizado em 2012, sejam absolvidos desse crime o
ex-ministro José Dirceu, o ex-presidente do PT José Genoino e o
ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares.

Com isso, Dirceu e Delúbio vão ter direito a cumprir a pena do
processo em regime semiaberto. Genoino, independentemente do julgamento
desta quinta, já cumpria pena nesse regime, no qual se pode, com
autorização da Justiça, trabalhar fora.

Nesta tarde os ministros começam a analisar os embargos infringentes
pelo crime de quadrilha, de acordo com a pauta do plenário, de Delúbio,
Genoino, Dirceu, e dos ex-dirigentes do Banco Rural José Roberto Salgado
e Kátia Rabello.

A chegada dos ministros Teori Zavascki e Luís Roberto Barroso ? Corte
deve mudar o veredicto do julgamento realizado dois anos atrás.
Zavascki e Barroso já votaram em outros processos por entendimento
diferente no crime de quadrilha ao adotado no mensalão.

Se essa pena for derrubada, a ideia de que uma quadrilha dentro do
Palácio do Planalto foi montada para comprar votos no primeiro governo
Luiz Inácio Lula da Silva será desmontada.

Compartilhe