Prefeitura de Salvador licencia 2.500 ambulantes para trabalhar no Carnaval

A Prefeitura licenciou cerca de 2.500 ambulantes para trabalhar no comércio informal no Carnaval de Salvador. Esse total inclui 1.175 postos de isopor no Circuito Dodô (Barra/Ondina) e outros 1.085 no Osmar (Campo Grande). Os demais licenciados são barracas padronizadas, baianas de acarajé, vendedores de pipoca, sorvete, água de coco e gelo, entre outros. Todos passaram por treinamento prestado pela Secretaria Municipal da Ordem Pública (Semop), em parceria com a Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate ? Pobreza (Semps), o Sebrae e a Vigilância Sanitária de Salvador sobre temas como higiene e manipulação de alimentos.   

Este ano, o cadastramento, encerrado na última sexta-feira (7), foi realizado via internet, através do Sistema de Cadastramento desenvolvido pela Semop e a Companhia de Governança Eletrônica do Município (Cogel). Para garantir a licença, além de levar os documentos exigidos pela Prefeitura como CPF e RG, os ambulantes quitaram o Documento de Arrecadação Municipal (DAM) cujo valor variou a depender da atividade de cada trabalhador informal.

No Circuito do Campo Grande, dos 1085 ambulantes com isopor licenciados, 715 vão trabalhar em pontos fixos e outros 360 volantes. Já no Circuito Dodô, 771 estão autorizados para atuar com isopor fixo, enquanto 404 vão vender seus produtos circulando pela área.

Segundo a titular da Semop, Rosemma Maluf, todos os ambulantes que trabalharão durante o Carnaval devem seguir normas como evitar a preparação de alimentos na rua, utilizar espetos e alimentos acondicionados em vidro, utilizar apenas material descartável e atender ? s regras de higiene.

Quem descumprir as normas pode ter o equipamento e mercadoria apreendidas, autorização suspensa e alimentos impróprios para consumo descartados na hora, além de receber multa que varia de R$97,07 a R$129,44, a depender da infração cometida.

Compartilhe