Aos 95 anos, morre Nelson Mandela

O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela morreu nesta sexta-feira
aos 95 anos. Ele ficou internado de junho a setembro devido a uma
infecção pulmonar, quando foi liberado para ficar em casa na companhia
da família.

“Ele agora descansou e está em paz”, disse o presidente Jacob Zuma.
“Nossa nação perdeu seu maior filho. Nosso povo perdeu seu pai.”

Mandela, que já havia sido internado no começo do ano, foi vítima de
tuberculose em 1985, quando estava na cadeia. Em 2001, ele passou por
dois meses de radioterapia para combater um câncer de próstata e, dez
anos depois, voltou a precisar de cuidados médicos devido a problemas
respiratórios. Desde então, a saúde do líder africano nunca mais se
recuperou completamente.

No dia 4 de julho, foi divulgado que seu estado de saúde era
vegetativo e irreversível, o que fez sua família considerar o
desligamento dos aparelhos. A ideia foi abandonada, e Madiba resistiu
mais cinco meses. 

Mandela, símbolo da luta pela igualdade racial

Nelson Rolihlahla Mandela nasceu em 18 de julho de 1918 e foi o
principal líder rebelde do país na luta contra o apartheid, regime de
segregação racial adotado oficialmente na África do Sul entre os anos de
1948 e 1994.

Ele se uniu ao Congresso Nacional Africano e fundou a Liga Jovem do
CNA em 1944. Em 1955, tornou-se parte do Congresso do Povo e elaborou a
Carta da Liberdade, documento que defendia o fim do regime racista no
país.

Até 1960, Mandela era favorável ao princípio da não-violência, até
que o Massacre de Sharpeville, em que 69 negros foram mortos pela
polícia, fez com que ele passasse a incentivar a luta armada. Ele
tornou-se comandante da Lança da Nação, braço armado do CNA, e coordenou
ataques contra o governo e os militares. Em 1964, o rebelde foi
condenado ? prisão perpétua.

Somente em 1990, após forte pressão do CNA e de outros países,
Mandela foi libertado sob ordem do governante Frederik de Klerk. Ambos
receberam o Prêmio Nobel da Paz em 1993, e Mandela foi eleito presidente
da África do Sul no ano seguinte. Após meia década de mandato, Madiba –
como era carinhosamente conhecido no país – decidiu se aposentar da
vida pública.

Em 2010, a ONU instituiu o Dia Internacional de Nelson Mandela,
celebrado em 18 de julho, dia do nascimento do eterno líder
revolucionário.

Compartilhe