Dilma acompanha concessão de título honoris causa a Lula

A presidenta da República Dilma Rousseff participou na tarde de hoje (4) da entrega do título de doutor honoris causa
ao ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, concedido pela
Universidade Federal do ABC (UFABC), em São Bernardo do Campo. A
presidenta não discursou durante o evento.

O título é concedido para pessoas de destaque, que não
necessariamente tenham diploma universitário, mas que contribuíram para o
desenvolvimento, por exemplo, da própria universidade ou por sua
atuação política, social ou econômica. A UFABC foi criada durante o
governo Lula, em 2005. Segundo o o reitor da universidade, Helio
Waldman, a concessão do título a Lula foi decidida pelo conselho da
universidade em 2011, sendo o primeiro título concedido pela UFABC.

Durante seu discurso, o ex-presidente Lula lamentou o fato de
nenhuma universidade do país aparecer entre as 100 melhores do mundo.
?Quero dizer hoje que esta universidade [UFABC] foi criada não apenas
para ser a melhor universidade do Brasil. O Brasil não tem nenhuma
universidade entre as 100 melhores do mundo. Em tudo o Brasil está entre
os dez melhores do mundo. Na questão social, nós temos muitas dívidas,
mas não há explicação para não termos universidades entre as 100
melhores do mundo. E esta aqui [a UFABC] foi criada para isso?, disse.

De acordo com o ex-presidente, o maior legado que os pais podem
deixar a seus filhos, principalmente nas famílias mais pobres, é a
educação. Neste momento, Lula brincou com a presidenta Dilma Rousseff.
?E depois que eles [filhos] se formarem doutor, não espere, presidenta,
que ele vá ficar agradecido. Ele vai para a rua fazer manifestação
contra você. E por uma coisa simples: a gente fica dizendo que ele tem
que estudar para melhorar de vida. E ele se forma e depois ele percebe
que o emprego que ele arruma não é o sonho que ele tinha. Então, em vez
de acharmos que fizemos um favor para ele, nós fizemos a obrigação. Ele
só chegou lá por causa da vontade e do esforço dele. Ele se matou para
jogar nele. E nós precisamos continuar nos matando para garantir que
depois de formados ele possa aperfeiçoar seus estudos e ter o emprego
dos sonhos dele. E quando ele tiver esse emprego, pode estar certo que
ele não vai mais sair na rua para fazer passeata?.

A cerimônia também teve a participação do ministro da Educação,
Aloizio Mercadante; da ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e do
prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho.

Compartilhe