Para Dilma leilão de aeroportos foi “muito além da expectativa”

A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (22) que o resultado do leilão
dos aeroportos do Galeão e de Confins foi ?muito além da expectativa?.
Com o valor global do leilão, a arrecadação será de R$ 20,83 bilhões.
Segundo cálculos do governo, no Galeão, o ágio foi mais de 293% do valor
mínimo, que era de R$ 4,82 bilhões, enquanto que em Confins, o lucro
sobre o lance mínimo – R$ 1,096 bilhão – foi 66,05%.

Dilma Rousseff ressaltou que o resultado do leilão mostrou
?interesse imenso dos investidores no Brasil?. Ela acrescentou que o que
é mais importante nesse processo é que ficou claro o interesse das
empresas, ?porque quem ganhou são grandes empresas de aeroportos?, disse
antes de anunciar investimentos em mobilidade urbana, no Ceará.

O Consórcio Aeroportos do Futuro venceu o leilão pela concessão por
25 anos do Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim/Galeão, no Rio
de Janeiro, pelo valor de R$ 19,018 bilhões. Na mesma disputa, com a
proposta de R$ 1,82 bilhão, o consórcio AeroBrasil conquistou a
concessão, por 30 anos, no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em
Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte. O arremate foi feito
na BMF&Bovespa, em São Paulo, num valor total de R$ 20.838.888.000.

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), no
aeroporto do Galeão, fazem parte das melhorias obrigatórias a construção
de 26 pontes de embarque até o dia 30 de abril de 2016; a construção de
estacionamento com capacidade mínima para 1.850 veículos até o fim de
2015; a adequação das instalações para armazenamento de carga (para os
jogos olímpicos de 2016); a ampliação do pátio de aeronaves até 30 de
abril de 2016; e a construção de sistema de pistas independentes até
atingir o gatilho de 262.900 movimentos ao ano.

Em Belo Horizonte, no aeroporto de Confins, as obras obrigatórias
incluem a construção de novo terminal de passageiros com no mínimo 14
pontes de embarque até 30 de abril de 2016 e vias terrestres associadas,
além da ampliação do pátio de aeronaves até 30 de abril de 2016 e da
construção da segunda pista independente até 2020 ou gatilho de 198.000
movimentos ao ano.

Compartilhe