Itália nega ter emitido passaporte para Pizzolato no Paraguai

A embaixada da Itália em Assunção negou ter emitido um novo passaporte
italiano para o ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique
Pizzolato, que foi condenado no processo do mensalão e fugiu do Brasíl
há cerca de 50 dias. A embaixadora da Itália no Paraguai, Antonella
Cavallari, afirmou por e-mail que “não foi expedido nenhum passaporte em
nome de Henrique Pizzolato através dos serviços consulares da embaixada
italiana no Paraguai”. Considerado foragido, Pizzolato teve prisão
decretada na sexta-feira para cumprimento da pena de 12 anos e sete
meses regime fechado por lavagem de dinheiro, peculato e corrupção
passiva.

No sábado, o advogado de Pizzolato, Marthius Sávio Cavalcante Lobato,
disse ? Polícia Federal que familiares afirmaram que o foragido estaria
na Itália, após deixar o Brasil pela cidade de Ponta Porã (MS) e
ingressar no Paraguai por Pedro Juan Caballero. As duas cidades são
separadas apenas por uma avenida. A fuga, segundo uma carta assinada
pelo réu, teria ocorrido em busca do “legítimo direito de liberdade para
ter um novo julgamento na Itália”.

No Paraná, uma pessoa que mantinha contato frequente com Pizzolato
disse não acreditar na versão de fuga do réu pela fronteira com o Mato
Grosso do Sul. Segundo o homem, que preferiu não ter o nome revelado,
Pizzolato “tem uma postura calma, direcionada e evita adotar posições
emocionais”. “Não creio que ele escolheria aquela região, considerada
perigosa pela presença de traficantes. Se ele fugisse pelo Paraguai,
acho que escolheria a rota de Foz do Iguaçu. Além de ser mais tranquila,
ele poderia contar com apoio de pessoas que ele conhece”, disse a
fonte.

Compartilhe