Jovem se suicida após vídeo íntimo vazar no WhatsApp

A morte de uma adolescente piauiense em Parnaíba tem comovido toda a
população na cidade no norte do Piauí e acende alerta para os pais em
todo o estado. Foi pelas redes sociais, que a jovem Julia Rebeca anunciou o dia da própria morte.
Tudo aconteceu depois que um vídeo íntimo entre ela, um rapaz e outra
adolescente, filmado pela própria jovem, vazou para as redes sociais
através do WhatsApp.

Júlia Rebeca foi encontrada morta dentro do quarto, enrolada no fio
da própria chapinha no último dia 10 de novembro, domingo passado. A
data foi postada em uma mensagem através do Instagram e do Twitter
da jovem, que dizia: ?Eu te amo, desculpa eu n ser a filha perfeita mas
eu tentei? desculpa eu te amo muito mãezinha (?) Guarda esse dia
10.11.13 [sic]?.

O caso levantou polêmica, justamente pelo dano que as redes sociais
vem causando aos jovens, que não aprenderam ainda a lidar com a
ferramenta e acabam caindo em armadilhas. É cada vez mais comum notícias
sobre o vazamento de vídeos íntimos, que mudam a vida dos protagonistas
por completo, e alguns acabam chegando ao extremo, como o caso da
adolescente de Parnaíba.

Outras mensagens deixadas no Twitter da jovem, também chocaram os
familiares, como as frases ?É daqui a pouco que tudo acaba.? e logo após
?E tô com medo mas acho que é tchau pra sempre?. No perfil de Julia, um
primo postou mensagens horas depois da morte da estudante, e pediu que
os comentários maldosos a respeito do vídeo fossem evitados, e agradeceu
pelo apoio dos amigos. A conta de Instagram da jovem foi removido pelo
primo.

Especialista em problemas de família, Antonio Noronha afirma que a
morte da jovem serve de alerta principalmente para os pais. ?É
importante que os pais estejam próximos dos filhos, saber das amizades, o
que estão fazendo. Ter todo um acompanhamento. Não precisa entrar na
intimidade, não tanto, mas ter um mínimo de conhecimento. O próprio
adolescente vai entender que o que você, pai ou mãe, está fazendo, é por
amor?, comentou.

Ele ressaltou ainda sobre o risco de se produzir vídeos com conteúdo
íntimo, e afirmou que o principal ponto para os pais é a existência de
diálogo entre os filhos, que pode ajudar a evitar o pior.

Compartilhe