Prefeitura de Salvador testa bocas de lobo de polietileno para evitar furtos

Buscando reduzir os prejuízos com furtos e a quebra de material, a Prefeitura está testando a substituição de uso de grelhas de caixa de sarjeta (boca de lobo) e tampões de boca de visitação de ferro fundido e concreto por materiais feitos com Polietileno de Alta Densidade (PEAD), material 100 % reciclado que não sofre corrosão. As duas primeiras grelhas foram instaladas nesta quarta-feira (6) na orla, entre a Amaralina e a Pituba. Também foi colocado um tampão na Boca de Visitação (BV) na Rua Luís Maria, que tem grande fluxo de veículos pesados.
 
Segundo o engenheiro da Superintendência de Conservação e Obras e Públicas de Salvador (Sucop) responsável pelo projeto, Lúcio Mangieri, a medida busca tentar resolver dois problemas comuns. Um deles são as constantes ocorrências de furto das peças de ferro fundido, devido ao seu valor comercial. O outro é falta de resistência das peças de concreto que têm pouca vida útil, especialmente nas áreas de maior fluxo de veículos pesados, como carretas e caminhões.
 
?Uma das vantagens do PEAD é que ele não tem valor comercial, por ser plástico. Além disso, sua resistência já foi verificada em teste, inclusive com a passagem de uma carreta carregada por cima do objeto?, explica o engenheiro. As primeiras grelhas foram instaladas nas proximidades do Largo das Baianas, em Amaralina, e da região delicatesen Perini, na Pituba.  
 
Segundo ele, a depender do resultado da experiência, a Prefeitura vai, progressivamente promover a troca das bocas de lobo e tampões de BV da cidade.

Compartilhe