Lula cobrará reforma política no Congresso

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitará as homenagens
que receberá nesta terça-feira, 29, no Congresso Nacional para cobrar
dos parlamentares a aprovação de um projeto de reforma política. Em duas
décadas de discussões, o Parlamento não conseguiu chegar a um consenso
sobre o assunto. A presidente Dilma Rousseff, que não participará dos
eventos, chegou a reintroduzir o tema após as manifestações de junho ao
propor um plebiscito, mas a sugestão foi abandonada pelos parlamentares.

Lula abordará a reforma política em seu discurso na Câmara dos
Deputados, onde receberá as medalhas Suprema Distinção (pelos serviços
prestados dos chefes de Estado em sua atuação pública) e Assembleia
Nacional Constituinte (homenagem aos deputados constituintes). Em
aproximadamente 30 minutos de discurso, Lula também exaltará a relação
com o Congresso durante seu governo.

Desde que a consulta popular
sobre a reforma política foi enterrada pelos parlamentares sob o
argumento de que não haveria tempo para aplicar as novas regras nas
eleições de 2014, o PT vem insistindo para que a Câmara aprove um
decreto legislativo convocando o plebiscito. O partido coletou
assinaturas de aliados, mas a proposta nunca entrou na pauta de
votações. O presidente da Casa, deputado Henrique Eduardo Alves
(PMDB-RN), criou um grupo de trabalho para discutir o tema e, na próxima
quinta-feira, os deputados devem apresentar as propostas. Até agora,
apenas uma minirreforma abordando novas regras para campanhas eleitorais
foi apreciada por deputados e senadores Congresso.

Além do
discursar para os deputados, Lula visitará a sala da liderança do PT na
Câmara, onde será homenageado pelos petistas com um bolo de aniversário.
O ex-presidente completou 68 anos no último domingo. Na sequência,
posará para foto com a bancada do PT na Casa.

A primeira
homenagem a Lula será concedida pelo Senado, onde receberá a Medalha
Ulysses Guimarães (em homenagem aos 25 anos da Constituição Federal), ao
lado do senador e ex-presidente José Sarney (PMDB-AP). O ex-presidente
Fernando Henrique Cardoso também receberia a homenagem, mas cancelou a
agenda em virtude de uma indisposição após viagem ao Peru.

Lula
passará dois dias em Brasília, onde deve se reunir com petistas e
líderes da base aliada. O encontro com Dilma acontecerá nesta quarta,
30, durante o evento comemorativo aos 10 anos do Programa Bolsa Família.

Compartilhe