Petrobras sobe 5% após leilão do pré-sal e impulsiona Bolsa

Os investidores responderam bem ao resultado do leilão do campo de
Libra, no pré-sal da Bacia de Campos, e levaram as ações da Petrobras a
fecharem em forte alta hoje. Com isso, o Ibovespa, principal índice da
Bolsa brasileira, subiu 1,26%, aos 56.077 pontos.

As ações preferenciais da Petrobras (sem direito a voto) subiram 5,30%,
a R$ 18,88. Já os papéis ordinários da estatal (com direito a voto)
tiveram alta de 4,92%, a R$ 17,69. Juntas, essas duas ações representam
cerca de 10% do Ibovespa.

Para Rodolfo Amstalden, analista da consultoria Empiricus Research, o
mercado aprovou o resultado do leilão do campo de Libra. “Embora a
Petrobras tenha uma boa participação no consórcio vencedor (40%), o
resultado mostra que ela não está sozinha. Há alguns participantes de
renome”, afirma.

Além da Petrobras, o consórcio vencedor conta com Shell (20%), Total
(20%) e as chinesas CNPC e CNOOC (10% cada uma). As empresas ganharam
direito de explorar por 35 anos o campo gigante de Libra, no pré-sal da
bacia de Campos, que consumirá R$ 400 bilhões em investimentos nesse
período.

Para Luana Helsinger, analista do GBM (Grupo Bursátil Mexicano), a alta
das ações da Petrobras reflete um “alívio” que o mercado sentiu com o
resultado do leilão.

“O sentimento geral era negativo, porque a Petrobras teria que assumir
uma parcela muito grande de Libra sem estar nas melhores condições de
caixa. O que ficou definido, porém, agradou o mercado porque a Petrobras
não fugiu muito do mínimo que ela tinha que ter de participação no
campo, de 30%”, diz.

O mais positivo, segundo Luana, foi a parcela do lucro das empresas com
a produção de petróleo no campo de Libra que deve ser paga ao governo.
“Ela ficou definida em 41,65%, o mínimo projetado. Havia especulações de
que as empresas poderiam ter que dar até 70% do lucro com o petróleo
produzido em Libra para o governo”, avalia.  

Compartilhe