Lauro de Freitas: Coleção resgata histórias da Bahia

?A Coleção Tempo Antigo: Memórias da História Bahiana? será lançada em Lauro de Freitas, no dia 11 de outubro, ? s 19h, no auditório da Unime. Os três exemplares ? Resumo Chronólogico e Noticioso da Província da Bahia desde o seu descobrimento em 1500, Tempo Antigo e Epopéia Itaparicana, publicados pela Editora Livro, venceram o edital da Fundação Pedro Calmon, vinculada ? Secretaria Estadual de Cultura.

A escritora e produtora cultural Márcia Tude, o historiador e escritor, Gildásio Freitas, e o pesquisador historiográfico, Coriolano Oliveira, foram os vencedores. A reedição dos livros pela Fundação, foi idealização do então diretor Ubiratan Castro, que infelizmente não pode ver concluída a sua iniciativa devido a seu falecimento no início deste ano.

Márcia Tude explica que o objetivo da reedição dos títulos raros é contribuir com a história da Bahia, resgatando episódios do passado que  ermitirá compreender o nosso próprio presente. ” Quem não conhece a sua história, fica privado dos seus referenciais, das suas raízes”, destaca. Na avaliação da escritora e produtora cultural, o lançamento da Coleção Tempo Antigo coloca em debate a importância da preservação da memória e valorização dos registros históricos em uma sociedade cada vez mais efêmera.

Gildásio responsável por selecionar os livros que retratam fatos importantes da Bahia antiga, pesquisou e selecionou dentre diversos títulos raros da sua biblioteca pessoal, as obras – Tempo Antigo, escrito por João da Silva Campos, na década de 30,quando registra o estado de abandono de Santo Amaro de Ipitanga, na época distrito de Salvador e Epopéia Itaparicana, do escritor e doutor Bernardino Ferreira Nóbrega, que narra os fatos como testemunha ocular na época das lutas da Independência da Bahia em 1823.

No Instituto Geográfico e Histórico da Bahia – instituição da qual Gildásio e Coriolano fazem parte – foi buscar o Resumo Cronológico e Noticioso da Bahia, do ipitanguense e jornalista político, José Alvares do Amaral, como forma de homenagear o referido escritor pela passagem dos 190 anos de nascimento e 130 de morte.

?O resgate das três publicações raras, que contam a história da Bahia, principalmente no período na Independência, contemplam a região do Recôncavo (Cachoeira, São Felix), Ilha de Itaparica e principalmente, no meu olhar, Santo Amaro de Ipitanga (Lauro de Freitas), pois representa o resumo cronológico e noticioso da cidade?, relata o pesquisador historiográfico Coriolano Oliveira.

Para o historiador Gildásio, os títulos são obras raras, sem edição há muito tempo, cujos exemplares em edição antiga se perderam e a sociedade não teve acesso. ?A reedição é fundamental, pois traz o resgate histórico, bem como a valorização de informações valiosas, que a nossa população merece conhecer?, pontua.

Os lançamentos acontecerão também no dia 17 de outubro, no Instituto Geográfico Histórico da Bahia, em Salvador, na Feira Literária Internacional, de 23 a 27, em Cachoeira, finalizando na cidade de Itaparica, no dia 8 de novembro, ? s 16h, na Biblioteca Juracy Magalhães Junior.
 
Volume 1 – Resumo Cronológico e Noticioso da Bahia desde seu descobrimento 1500
Escritor: José Alves de Amaral, nascido a 17 de outubro de 1822, no Engenho do Caji, Lauro de Freitas. Cursou engenharia, mas dedicou-se ao jornalismo – imprensa política
Resumo: Em sua obra registra a Bahia do século XIX, marcada pela efervescência de um processo parcial e temporal nas lutas pelas Guerras da Independência do Brasil.
Ano: 1922
 
Volume 2 – Tempo Antigo
Escritor: João da Silva Campos
Nasceu no dia 27 de janeiro de 1880, na cidade de Santo Amaro-BA. Formado em engenharia pela Escola Politécnica da Bahia (1905).
Ano: 1942 (1ª edição)
Resumo: Tempo Antigo se divide em três segmentos: Crônicas  d?antanho, Marcos do Passado e Histórias do Recôncavo oferece ao leitor uma excelente da Bahia em sua fase provinciana.
 
Volume 3- Epopéia Itaparicana
Escritor: Bernardino Ferreira Nóbrega
Nasceu no Estado da Bahia em 1800, em 1818, matriculou-se no Curso Médico Cirúrgico, além de também se tornar jornalista e redator de vários jornais.
Ano: 1823.
Resumo: Retrata as lutas e vitórias dos itaparicanos no decurso da campanha da Bahia, quando o Brasil proclamou a sua independência.  O livro resgata a resistência não só de Maria Felipe, mas de todo o povo anônimo que também combateu bravamente na Ilha em Janeiro de 1823.

Compartilhe