MEC divulga lista com notas dos cursos avaliados no Enade

O Ministério da Educação divulgou ontem (7) a lista
com as notas dos cursos avaliados no Exame Nacional de Desempenho de
Estudantes (Enade) 2012. É possível conferir o nome da instituição, a
nota, a localização, a categoria administrativa (pública ou privada) e a
organização acadêmica (faculdade, universidade e centro universitário)
de cada local onde o curso é oferecido.

Foram avaliados os cursos de administração, ciências contábeis, ciências econômicas, design,
comunicação social, direito, psicologia, relações internacionais,
secretariado executivo e turismo. Os cursos superiores de tecnologia das
áreas de gestão comercial, gestão de recursos humanos, gestão
financeira, logística, marketing e processos gerenciais também
foram avaliados. Ao todo, 469.478 estudantes concluintes de cursos
superiores de graduação ou tecnológicos fizeram o exame.

O Conceito Enade – que vai em uma escala com notas até 5 –  é obtido
a partir dos resultados do exame aplicado aos estudantes e é um dos
indicadores de qualidade da educação superior, que também leva em
consideração o corpo docente e infraestrutura da instituição. Em 2012,
foram avaliados 7.228 cursos. Para o conceito, no entanto, foram
consideradas 6.306 unidades no cálculo, já que uma instituição pode ter
mais de um curso na mesma área.

Entre 2009 e 2012, a proporção de cursos com conceito 3 subiu de
37,8% para 43,9%; com conceito 4, de 9,7% para 19%; e com conceito 5, o
mais alto, de 1 % para 5,4%. Segundo o Ministério da Educação, as notas a
partir de 3 são consideradas satisfatórias. Tanto os cursos das
instituições públicas quanto das privadas tiveram avanço no conceito.
Nas públicas, os cursos com conceito máximo passaram de 4,3% em 2009,
para 17% em 2012. Os cursos com nota 4 passaram de 24,5% para 29,8%. Nas
privadas, o índice passou de 0,4% dos cursos com conceito 5 em 2009,
para 3,5% em 2012, já os com nota 4 passaram de 7,1% para 17,3%.  

O representante do Fórum das Entidades Representativas do Ensino
Superior Particular, Paulo Cardim, diz que a avaliação por si só não
reflete a realidade do ensino no país. Segundo ele, não há uma exigência
de compromisso do estudante com a avaliação, que pode, por exemplo,
deixar as respostas em branco, sem ser punido.

O Enade tem o maior peso na avaliação do curso. O ensino superior,
continua Cardim, deve ser avaliado de acordo com a lei do Sistema
Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) – Lei 10.861/2004
– que inclui vários aspectos e leva em consideração as especificidades
de cada instituição. Cada um dos aspectos deve ter o mesmo peso, avalia o
representante. 

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de
Ensino Superior (Andifes) não se pronunciou sobre o resultado do Enade.
Segundo a assessoria de imprensa da associação, os reitores estão
analisando os dados e devem se reunir hoje (8) para discutir os
resultados.

Compartilhe