Aécio defende redução de ministérios

Durante palestra a empresários, hoje, em São Paulo, o presidente
nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), falou em um “eventual
governo do PSDB” e defendeu a redução do número de ministérios para a
metade -hoje são 39.

“Num eventual governo do PSDB, e falo em tese, obviamente, trocaria
metade dos ministérios -deixaria com 20, 21- por uma secretaria de
desburocratização, que simplifique o setor de negócios e estimule os que
querem empreender mais.”

O provável candidato tucano ? Presidência da República em 2014 disse
que o Estado eficiente, com estímulo ? meritocracia e aos investimentos
privados é a chave para o desenvolvimentos econômico do Brasil.

Com discurso de pré-candidato, o senador enumerou quatro pontos para a
retomada do crescimento no Brasil: simplificação do sistema tributário
que atinja médias e grandes empresas, investimento em educação, abertura
da economia e inserção da produção brasileira em cadeias globais e
incentivo em inovação.

“Acho que é possível, sim, termos um processo de simplificação
tributária, inspirado no que aconteceu para pequenas e micro empresas.
Nossa disposição é apresentar em 12 meses um conjunto de medidas para
facilitação e simplificação do ambiente de negócios”.

Aécio também defendeu a participação do setor privado nos
investimentos, principalmente no setor de inovação. “Só vamos retomar o
rumo quando o setor público compreender que o setor privado não é um
inimigo a ser combatido, é um parceiro essencial para alavancar
investimentos”, explicou o tucano.

Para ele, a recente estagnação da economia brasileira começou a partir
de 2008, durante o governo petista, quando foi criado”um ambiente hostil
? vinda de investimentos” para o país. Caixa 2 do PT

Aécio classificou como “extremamente grave” o caso revelado pela Folha
de S.Paulo que mostrou cabos eleitorais que aparecem como “voluntários”
na prestação de contas da campanha da presidente Dilma, em 2010, mas que
afirmam ter recebido pelo trabalho.

“É o PT confirmando o que o presidente Lula falou que eles faziam”,
disse o senador em referência ao caixa dois. Segundo o tucano, ainda
nesta segunda os advogados do PSDB vão anunciar os instrumentos legais
que o partido usará para pedir a revisão de contas da campanha petista. 

Compartilhe