Temer critica criação de novos partidos: “não é útil para o nosso país”

O vice-presidente Michel Temer afirmou em entrevista ao jornal Estado
de São Paulo que o Brasil tem um número excessivo de partidos políticos e
que a legalização de dois novos partidos – o PROS e o Solidariedade –
pelo Tribunal Superior Eleitoral nesta semana é “politicamente
inadequada”. 

Temer ressaltou que é “perfeitamente legal” a
criação dos novos partidos, mas que, com 32 partidos na atualidade, as
legendas brasileiras “perderam sua identidade” e o número “não é útil”
para o País. 

Na entrevista, Temer também admitiu que o seu
partido, o PMDB, “perdeu um pouco de identidade” e que o partido está
tentando para exigir um novo tipo de democracia exigido pelas ruas. 

Ao
ser questionado sobre a possibilidade de o PT oferecer a vaga de vice
na chapa da presidente Dilma em 2014 para o PSB para evitar uma
candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, ? presidência,
Temer afirmou que ser vice “não é uma coisa de vida ou morte”. Ele ainda
afirmou que o ideal é manter o PSB na chapa da presidente.

Compartilhe