Transalvador orienta população no primeiro dia de mudanças na Barra

Tudo correu conforme o previsto pelo corpo técnico da Transalvador neste sábado (28), primeiro dia de restrições a tráfego e estacionamento na região da Barra por conta do início das obras de requalificação da orla, que começam na próxima semana. Desde as 5h30, cerca de 46 agentes de trânsito e transporte atuavam nos principais pontos de modificação, orientando condutores, motoristas de ônibus, pedestres, comerciantes e até as pessoas que costumam praticar esporte na área.

Para o superintendente Fabrizzio Muller, as medidas são necessárias e vão viabilizar a requalificação da orla, criando uma cultura diferente nas pessoas. ?O que queremos passar é que este é um projeto que não interfere somente no trânsito da região, mas traz uma mudança conceitual. Vai ser positivo em diversos aspectos?, complementou Fabrizzio.

O superintendente adiantou que as modificações no tráfego não serão provisórias. ?Este é um recorte de um projeto maior, que vai ser implementado ao final da obra. Como o piso será em um só nível, compartilhado entre pedestres e veículos, a fiscalização vai ser intensa e a velocidade máxima controlada a 20 km/h?, esclareceu.

Haverá redução significativa do fluxo de veículos de grande porte na região também, e aproximadamente 76 linhas que chegam ? Barra vão deixar de passar pelo bairro. ?Mas a população não ficará desassistida. Linhas de ônibus circulares de menor porte vão fazer o traslado Estação da Lapa ? Barra sem custo adicional, atendendo tanto quem trabalha quanto quem procura lazer e entretenimento?, assegurou o superintendente da Transalvador.

Apesar de admitir transtornos iniciais, como a adaptação ? s restrições de estacionamento, a comerciante Rosa Ferraz, dona de uma loja de conveniência em um posto de combustível da Rua Marquês de Caravelas, comemorou a requalificação da Barra. Confiante, ela explicou porque gosta da iniciativa da Prefeitura. ?É um dos cartões postais da cidade e o movimento vinha fraco. Acredito que vai dar uma levantada no comércio?.

?Foi providencial a medida?, disse Marcos Túlio Figueiredo, morador da Av. Princesa Isabel, frequentador do comércio local. Ele acredita que terá, num primeiro momento, que enfrentar ?certos transtornos no trânsito que uma obra dessa envergadura pode trazer?, mas acha admissível passar por esta fase de transição. Antecipadamente, Marcus Túlio aplaude a iniciativa e pede ? Prefeitura Municipal uma campanha educativa, para que a população aprenda a conviver com o novo equipamento.

Compartilhe