Praça da Piedade passa por intervenções

A população acostumada a frequentar ou apenas passar pela Praça da Piedade, no Centro, encontrou, nesta terça-feira (24), o local totalmente cercado por tapumes para a realização das obras de recuperação de um dos principais espaços de convivência e lazer da cidade.  As equipes da Superintendência de Conservação e Obras Públicas (Sucop) e da Companhia de Desenvolvimento Urbano de Salvador (Desal), autarquias vinculadas ? Secretaria Municipal de Infraestrutura e Defesa Civil (Sindec), já iniciaram a retirada da vegetação antiga e a pintura do gradil.

A próxima etapa é o trabalho de poda das árvores e lavagem dos tanques. Será feita, ainda, a escavação para colocação de novas tubulações ? já que as antigas estão completamente comprometidas ? dentro da ação de recuperação do sistema de drenagem, que contará com novos aspersores. Também será realizada a recuperação do piso, replantio de árvores na nova jardinagem e substituição de bancos, dentre outras melhorias. A previsão é de que as obras sejam concluídas na primeira quinzena de outubro.

Origem ? Inicialmente um largo, a Piedade era o lugar onde presos eram executados, a exemplo dos líderes da Revolta dos Alfaiates, em 1799, que morreram na forca que existia no meio do local. No final do século XIX, o largo deu origem a um jardim e, um século depois, a Piedade era transformada em uma das principais praças da cidade, em homenagem aos mártires inconfidentes. O chafariz foi substituído por uma fonte luminosa vinda da França e o atual gradil, criado pelo artista plástico Carybé, possui os nomes dos quatro heróis da também chamada Conjuração Baiana.

Compartilhe