Estudo aponta crescimento do número de idosos na Bahia

O aumento da expectativa de vida
dos homens, que era de 71 anos no período de 2005 a 2010, para 76, entre
2025 e 2039, é um dos resultados do estudo ?Projeções Demográficas para
a Bahia 2010-2030?. Tomando-se por base estas mesmas datas, a
expectativa de vida das mulheres também subiu, de 77 para 81 anos. 

O
estudo foi elaborado pelo Centro de Desenvolvimento e Planejamento
Regional de Minas Gerais (Cedeplar), órgão especializado em projeções
demográficas, e analisado pela Coordenação de Pesquisas
Sociopopulacionais da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais
da Bahia (SEI), autarquia da Secretaria do Planejamento (Seplan).

A
pesquisa divulgada nesta sexta-feira (6) pela SEI, em Salvador, também
indica a redução do incremento populacional entre 2010 e 2030, o que
refletirá em uma diminuição do ritmo do crescimento populacional na
Bahia. Até 2030, as projeções apontam que a população baiana
ultrapassará os 16 milhões, mas que questões como migração, queda de
fecundidade e envelhecimento populacional contribuirão para a tendência
de declínio do crescimento da população.

O declínio da
fecundidade influenciará bastante no perfil da população baiana nos
próximos anos. Isso porque a população dos grupos etários mais jovens
(menos
de 15 anos) diminuirá a sua influência na estrutura etária, e aumentará o peso relativo da população idosa (mais de 65 anos).

De
acordo com o diretor-geral da SEI, Geraldo Reis, ?o envelhecimento da
população e o aumento da expectativa de vida dos homens e mulheres
baianos demandará, segundo o estudo, uma forte demanda de serviços ao
idoso o que pode mudar o foco das políticas de seguridade social, saúde e
educação. Deste modo, iniciativas voltadas ? população idosa (acima de
60 anos) serão cada vez mais importantes no âmbito das políticas
públicas, enquanto ocorrerá menor pressão para as demandas relacionadas ?
infância e ? adolescência?.

Idades intermediárias

Segundo
dados da pesquisa, a população das idades intermediárias, no entanto,
permanecerá com o maior peso relativo na estrutura etária, e esse peso
será incrementado durante o período. A etapa chamada de transação
demográfica (em que a maior parte da população encontra-se no grupo
etário potencialmente produtivo -15 a 64 anos) pode configurar um
potencial demográfico favorável ao crescimento econômico.

Na
Bahia, em 2010, o grupo de 60 ou mais anos de idade era composto por
cerca de 1,4 milhões ou 10,3% do total, enquanto que o grupo de 0 a 29
anos de idade somava aproximadamente 7,6 milhões ou 54% do conjunto da
população. Já em 2030, estes valores serão, respectivamente, 16,7% e
40,7% do total da população, refletindo a redução na base da pirâmide e o
alargamento no topo da pirâmide etária.

Na próxima semana, a
SEI divulga as projeções demográficas para os territórios de identidade e
municípios. Décadas atrás, o crescimento natural da população
brasileira era bastante elevado e relativamente constante e a Bahia não
era exceção. Exemplo são as alterações no perfil demográfico, como
redução da mortalidade e maior expectativa de vida, que ocorreram de
forma muito acentuada a partir da década de 80.

Compartilhe