Planalto tem plano para tirar Dilma de ato

A segurança do palácio do Planalto montou
um ?plano de emergência? para criar um pretexto que afaste a presidente
Dilma Rousseff do desfile de 7 de setembro, em Brasília. O plano será
deflagrado caso se confirmem os temores de conflitos entre policiais e
multidões na Esplanada dos Ministérios.

Nesse caso, será atrasado de propósito o
voo do airbus da FAB (Força Aérea Brasileira) que a trará de volta da
reunião do G-20, em São Petesburgo, na Rússia.

Informada do ?plano de emergência?, Dilma o
detestou. Até decidiu antecipar o retorno da Rússia, mas a palavra
final será da segurança.

A PF (Polícia Federal), que há anos tenta
substituir o Exército na segurança de presidentes, criou seu próprio
esquema de proteção a Dilma. A PF prevê três ?rotas de fuga? para
retirar a presidente do palanque oficial em segurança caso o conflito
ocorra após uma eventual chegada dela.

A segurança do Exército desaconselhou a presença do neto de Dilma no palanque no desfile de sábado.

Compartilhe