Dívidas de hospitais filantrópicos de Salvador será solucionada

O ministro da Saúde Alexandre Padilha recebeu ontem em seu gabinete o prefeito de Salvador ACM Neto, o secretário estadual da Saúde Jorge Solla, o deputado federal Antonio Brito (PTB-BA) e o presidente da Federação das Santas Casas e Hospitais e Entidades Filantrópicas da Bahia (FESFBA), Maurício Dias. Em pauta, a grave crise que atinge os hospitais filantrópicos de Salvador. O encontro foi um desdobramento da reunião que o setor teve com o prefeito dias antes da paralisação anunciada para a segunda semana de julho, que reverteu o protesto contra a dívida da prefeitura com o segmento, herdada da administração passada. Ali, ficou acertado que todos juntariam esforços para achar uma solução.

O ministro Alexandre Padilha anunciou algumas providências: nos próximos dias vai publicar duas portarias, com a primeira acrescentando R$ 33 milhões ao repasse anual da saúde para Salvador, e a segunda fazendo a recontratualização dos hospitais com aporte de mais R$ 36 milhões ao ano, sendo que esse total será aplicado caso a caso, com os hospitais permitindo a expansão de contrato e ofertando novos serviços. Foi feito pedido para que o Ministério da Saúde arque com parte dos R$ 54 milhões da dívida da Prefeitura de Salvador com os filantrópicos e calcule um novo teto de repasses para a capital baiana que atenda ? demanda. O prefeito ACM Neto se comprometeu a liberar os R$ 18 milhões de repasse de dezembro de 2012 que estão retidos, assim que o ministério anunciar uma parcela extra. Comprometeu-se também a discutir com a FEFSBA uma nova proposta de parcelamento da dívida da prefeitura com o setor para ser quitada até 2014.

Compartilhe