Ex-presidente do Egito é absolvido de acusação de corrupção

O ex-presidente do Egito, Hosni Mubarak, foi colocado em liberdade
condicional em um caso de corrupção. Apesar da absolvição, o egípcio
permanece detido por conta de outras acusações. Seu advogado, Fareed el
Deeb, anunciou que recorrerá da decisão da justiça para exigir a
liberação de seu cliente.

Mubarak, de 85 anos, foi preso em 2011 após uma rebelião popular, que
deu início ? chamada Primavera Árabe. Com aspecto doente, foi visto
dentro de uma cela em um tribunal pronto para responder a acusações de
corrupção e de ser responsável pela morte de manifestantes.

Segundo seu advogado, a única razão jurídica para ele permanecer
preso é um caso de corrupção. “Tudo o que nos resta é um simples
procedimento administrativo que não deve levar mais do que 48 horas. Ele
dever ser libertado até o final da semana”, disse Deeb ? Reuters.

O ex-presidente não compareceu ? s audiências judiciais de sábado e
segunda-feira. Ele está detido na penitenciária de Tora, mesmo lugar
para onde membros da Irmandade Muçulmana foram levados depois do
movimento militar que derrubou o presidente islâmico Mohamed Mursi.

O Egito vive um dos momentos mais conturbados de sua história.
Ativistas protestam contra a violenta repressão das forças de segurança.
Desde que os protestos contra a deposição do presidente Mursi, que foi
derrubado em 3 de julho pelas Forças Armadas, começaram, 850 pessoas
morreram, incluindo 70 policiais e soldados.

Compartilhe