Feliciano atribui queda de popularidade de Dilma a ‘obra divina’

O pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) afirmou nessa
quinta-feira que a queda da popularidade da presidente Dilma Rousseff
foi uma “obra divina”. Feliciano atribuiu o fato ? s injustiças sofridas
por ele quando foi alvo de protestos na Câmara. O pastor, que estava
presente na inauguração de uma igreja em Canoas, Região Metropolitana de
Porto Alegre, também disse que as igrejas se aproximaram dos
homossexuais para evitarem ser criticadas.

Feliciano foi a atração principal do evento, que teve shows musicais e
o dízimo sendo recolhido pelo menos duas vezes. O deputado discursou
por pelo menos duas horas e reforçou as críticas aos homossexuais.
Apesar disso, o pastor convidou os gays a participarem da igreja e
afirmou que os evangélicos também têm o que aprender com eles.

Questionado sobre os protestos desde quando assumiu a presidência da
Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Feliciano afirmou que Deus
castigou Dilma, que, segundo ele, pertence ao partido que mais o
perseguiu.  A popularidade da presidenta caiu de 75% para 30% em cinco
meses. Feliciano também criticou a bancada evangélica em Brasília e
comentou ainda que só ele luta pela causa da adoção por casais gays.

Compartilhe