Mantega reafirma que houve “problema de comunicação” com diretor do FMI

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, se reuniu hoje (7) com o
diretor-executivo brasileiro no Fundo Monetário Internacional (FMI),
Paulo Nogueira Batista Júnior, de quem ouviu explicações sobre
posicionamento de se abster na votação de liberação de recursos do
organismo internacional para a Grécia. A postura desagradou Mantega,
pois o Brasil tem posição favorável ao auxílio ao país europeu. Segundo
nota do ministério, divulgada após o encontro, Mantega tornou a avaliar
que houve ?problema de comunicação?. O ministro dera a mesma declaração
na última semana.

?Frequentemente, os diretores executivos do FMI têm de tomar diversas
decisões por semana e nem sempre é possível a consulta ao governador do
FMI, no caso do Brasil, o ministro da Fazenda. O entendimento é que, em
questões de maior importância, a consulta é imprescindível?, diz o
comunicado. O texto ressalta ainda que a abstenção de Nogueira não teve
qualquer efeito prático no desembolso ? Grécia, dado que a liberação é
aprovada por maioria simples dos votos ponderados.

A nota diz ainda que Mantega e Nogueira avaliaram que os programas de
resgate ? Grécia e a outros países da periferia da zona do euro
?precisam ser revistos e aperfeiçoados de modo a dar melhores condições
de recuperação a esses países?. Segundo o Ministério da Fazenda, Paulo
Nogueira tem tido uma atuação relevante no FMI desde sua nomeação em
2007. ?Ele tem sido diligente e atuado em sintonia com o governo
brasileiro?, destaca o comunicado. Na semana passada, Guido Mantega
negou a jornalistas a possibilidade de demissão do diretor-executivo.

Compartilhe