Renan diz que buscará com Dilma solução para aposentados do Aerus

Os 25 aposentados e pensionistas do Instituto Aerus, que estão desde
ontem (7) acampados no Congresso Nacional, conseguiram hoje (7) o apoio
do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). O senador tentará
marcar uma reunião com a presidenta Dilma Rousseff em busca de solução
para o caso de quase 20 mil aposentados das extintas empresas aéreas
Varig e Transbrasil.

?Vamos conversar com [a presidenta] Dilma [Rousseff] para que
tenhamos a solução para essas pessoas. O ideal é uma saída que reparasse
as contribuições que eles fizeram ao longo dos anos [ao Aerus]?, disse
Renan.

Criado em 1982 pela Varig, Cruzeiro e Transbrasil, o fundo de pensão
está sob intervenção do governo há sete anos. Aposentados que
contribuíram para o fundo ficaram sem receber os benefícios que
contrataram.

Até 2007, os aposentados recebiam 100% dos benefícios, mas, há três
anos, o valor pago a eos ex-funcionários é equivalente a 8% da parcela
contratada, disse a líder do movimento dos aposentados do Aerus,
Graziella Baggio, ex-dirigente do Sindicato Nacional dos Aeronautas. ?E
esse valor será pago só até o mês que vem, porque o dinheiro do fundo
acabou. Os funcionários foram enganados?, afirmou Graziella.

Ela ressaltou que, até hoje, muitos funcionários da extinta
Transbrasil sequer receberam a rescisão contratual, 11 anos depois de 
encerradas as operações da empresa. ?O governo não cumpriu até hoje as
decisões da Justiça, que mandou pagar a essas pessoas?, completou.

De acordo com integrantes do grupo acampado no Congreso, alguns
aposentados estão recebendo uma parcela de R$ 19 por mês. Graziella
explicou que, no período em que as empresas estavam operando, os
funcionários foram obrigados a contribuir com parcelas de até 10% dos
salários para a aposentadoria complementar que seria paga pelo fundo.

O senador Alvaro Dias (PSDB-PR), que apresentou um projeto tentando
uma solução para o impasse, disse que o Planalto representa a única
alternativa agora para essas pessoas. ?Já são sete anos e várias
alternativas tentadas sem sucesso. Só resta a Presidência da República. É
essencial que a presidenta receba esses líderes?, disse Dias, que
prometeu acompanhar a evolução do debate.

Compartilhe