Presidente da Bolívia evita comentar lei da maconha do Uruguai

O presidente da Bolívia, Evo Morales, evitou comentar ontem(04) em São Paulo
o projeto de lei promovido por seu aliado, o presidente uruguaio José
Mujica, para regular a produção e distribuição de maconha no Uruguai.
Aprovado na Câmara, o texto precisa passar pelos senadores uruguaios
para virar lei.

“Não tenho muito comentário sobre o tema. Talvez faça um comentário
conservador, talvez não. Álcool também é droga. Quem não toma cerveja? É
muito difícil de comentar sobre maconha”, disse Morales, em São Paulo
para participar de uma reunião de partidos esquerdistas da região.

“Ouvi dizer que em alguns Estados dos EUA se vende livremente a
cocaína, como lá está legalizado”, continuou o presidente. Nos EUA, 18
Estados legalizaram o consumo de maconha, mas não o de cocaína.

Morales começou a carreira política como líder de produtores da folha
de coca na Bolívia e defende seu consumo tradicional -a folha é mascada e
usada para chás na região andina.

O presidente ataca a produção de cocaína, cuja base é a folha de coca,
mas é criticado por opositores por supostamente ser leniente com o
narcotráfico. A Bolívia é um dos maiores produtores do mundo de cocaína e
mais de 80% dela é consumida no Brasil.

Compartilhe