Pesquisa CNI/Ibope aponta que 91% dos entrevistados consideram impostos altos

A pesquisa de opinião encomendada pela Confederação Nacional da
Indústria (CNI) ao Ibope aponta que 91% das pessoas entrevistadas
consideram a carga tributária brasileira alta demais. Outro dado
apresentado, hoje (25), pela CNI, mostra que 53% dos entrevistados
acreditam que maior parte dos recursos arrecadados vão para o governo
federal. Além disso, as pessoas ouvidas têm a percepção que a maior
parte dos tributos vão para o governo federal.

A pesquisa CNI/Ibope mostra, também, que 51% dos entrevistados
acreditam que os estados e municípios não têm recursos para proverem os
serviços públicos principais. No entanto, as pessoas ouvidas apontaram
que em dois estados há recursos suficientes para investimentos públicos.
Segundo os dados consolidados, o Rio de Janeiro foi apontado por 60%
dos entrevistados e Goiás, por 51%. Os dados mostram que esses foram os
dois estados com a menor taxa de avaliação dos governos como bom ou
ótimo, com 12% e 21%, respectivamente. Rio de Janeiro e Goiás também
foram avaliados com os piores índices de confiança nos governadores, 25%
dos fluminenses dizendo que confiam e 29% dos goianos com a mesma
opinião.

Na avaliação das prefeituras, 62% dos entrevistados responderam que
acreditam que seus governos municipais precisam de ajuda do governo
federal para realizarem os serviços públicos, enquanto 31% disseram que a
prefeitura tem recursos suficientes.

Na interpretação do gerente de pesquisa da CNI, Renato da Fonseca, é
um erro considerar que a população não entende de questões tributárias e
sobre como isso interfere na vida das pessoas. ?A minha interpretação é
que, no todo, as pessoas entendem que o governo já tem os recursos
suficientes, mas não distribui bem esses recursos [do governo federal
para os governos estaduais e municipais]?, disse.

A utilização dos recursos é mal avaliada pela população. Na média do
país, 74% acreditam que os recursos são mal utilizados pela presidenta
Dilma Rousseff e seus ministros como, também, pelos governadores e
secretários. As prefeituras são mal avaliadas, com 70% das pessoas
apontando a má utilização dos recursos pelo prefeito e secretários
municipais.

O estado mais mal avaliado é o Rio de Janeiro, onde 87% dos
entrevistados acreditam que os recursos estão sendo mal empregados. Em
seguida, aparecem São Paulo e Goiás com 81% e 79% de pessoas
reconhecendo a má utilização dos recursos públicos, respectivamente.

A pesquisa constatou, ainda, que 42% dos entrevistados acreditam que
o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do seu
estado é maior que os demais. Entre os paulistas, 61% dos entrevistados
têm a percepção que o ICMS é maior que o praticado por outros estados.
Entre os cariocas e gaúchos essa percepção foi constatada por 50% dos
entrevistados.

Compartilhe