Palhinha propõe cemitérios verticais públicos em Salvador

Os cemitérios públicos de Salvador enfrentam graves problemas estruturais, como a falta de vagas, problemas de higiene e insegurança. Com o intuito de combater este grave problema, o vereador Orlando Palhinha (PP) apresentou em 17 de novembro de 2009, o Projeto de Indicação 304, que sugere a construção de cemitérios verticais na capital.

No mês de maio, o cemitério Quintas dos Lázaros, na Baixa de Quintas, fechou seus portões para sepultamentos de adultos. Esta restrição durou até o mês de junho, trazendo muitos contratempos ? população.

Os cemitérios verticais podem ser encontrados em cidades como Santos, Guarulhos e Diadema. Neste modelo, os espaços de sepultamento são agrupados em uma edificação vertical dotada de sistemas que permitem a drenagem dos fluidos e gases produzidos pelo processo de decomposição dos cadáveres.

De acordo com o vereador, ?o crescimento das cidades e, conseqüentemente das populações, traz consigo a exigência por equipamentos cada vez maiores. No caso de cemitérios, a ocupação de uma grande extensão de terra dentro de uma cidade como Salvador é um problema. Outra questão relevante é a preservação do meio ambiente e da saúde das populações que vivem no entorno destes equipamentos?.

Necrochorume

Durante o processo de decomposição, o cadáver libera, durante aproximadamente seis meses, uma mistura de líquidos chamada de necrochorume. Este composto possui grande potencial de contaminação química e bacteriana, podendo infectar lençóis freáticos e contaminar pessoas que tenham contato com ele.

Com a proposta, o vereador destaca a importância de novas alternativas para o melhor aproveitamento do espaço em uma cidade populosa como Salvador, porém alerta para os empecilhos culturais. ?O sepultamento poderia ser substituído pela cremação. Todavia, a nossa cultura e as crenças que as pessoas nutrem sobre determinado valores ainda representam um obstáculo. Creio, portanto, que a construção de cemitérios verticais é uma solução que respeita os valores das pessoas e proporciona dignidade neste que é o último serviço que o município presta ao cidadão?, lembra Orlando Palhinha.

Compartilhe