PT afirma que Vaccarezza não expressa o pensamento do partido

O diretório nacional do PT endossou hoje as críticas ao deputado
Cândido Vaccarezza (PT-SP) feitas pela bancada da sigla na Câmara.
Rachado, o diretório chegou a ensaiar a aprovação de moção contra a
permanência de Vaccarezza na coordenação do grupo que vai discutir a
reforma política na Câmara, mas por 43 votos a 27 optou por manter a
posição do líder José Guimarães (PT-CE).

Em nota, Guimarães disse que o deputado petista não expressa o
pensamento da bancada, nem do partido, mas sim o deputado Ricardo
Berzoini (PT-SP) – indicado como membro do PT para o grupo.

Vaccarezza foi escalado pelo presidente da Câmara, Henrique Eduardo
Alves (PMDB-RN), para coordenar o grupo de trabalho. A nomeação do
petista irritou a presidente Dilma Rousseff e a cúpula do PT depois que
ele se manifestou publicamente contra o plebiscito proposto pelo
governo. Quarenta deputados petistas divulgaram um manifesto contra a
permanência do petista na coordenação e defenderam o nome do deputado
Henrique Fontana (PT-RS), que comandou o projeto de reforma na Câmara.

Na reunião de hoje, o diretório do PT insistiu que há tempo para o
Congresso aprovar o plebiscito a tempo das mudanças estarem em vigor as
eleições de 2014, apesar de o PMDB, outros aliados e o próprio
Vaccarezza terem descartado a sua aprovação.

“Para nós, as mudanças deveriam ocorrer já em 2014. Pelo menos o que
diz respeito ao fim do financiamento privado das campanhas, que favorece
o poder econômico e induz ? corrupção, assim como as listas
partidárias”, disse o presidente do PT, Rui Falcão.  

Compartilhe