INSS muda regra de crédito consignado

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) mudou o critério para a
solicitação de um segundo empréstimo consignado para evitar fraudes e
conter abusos cometidos por beneficiários do sistema, de acordo com
informações do jornal Folha de S.Paulo publicadas nesta quarta-feira. Em
entrevista ao jornal, Benedito Adalberto Brunca, diretor de Benefícios
do INSS, disse que o instituto quer “coibir abusos de pessoas que ajam
de má-fé ou que sejam induzidas ao erro por terceiros e acabem
comprometendo sua renda mais do que podem”.

Com a mudança, o usuário não vai mais conseguir obter imediatamente a
suspensão do desconto de um empréstimo consignado ao alegar ter sido
alvo de fraude, o que permitia que o beneficiário contratasse um segundo
empréstimo e comprometesse mais de 30% de sua renda com o crédito.
Agora, mesmo após a denúncia a margem consignável ficará comprometida
com outros créditos e bloqueada durante toda a apuração do caso. Assim,
se a pessoa já tiver 10% de sua renda comprometida com um consignado e
fizer uma alegação de fraude, poderá usar apenas 20% de sua renda para
tomar o novo empréstimo, diz a publicação.

Compartilhe