PF identifica empresa de telemarketing do Rio que espalhou boatos do Bolsa Família

A Polícia Federal (PF) identificou ontem pelo menos duas pessoas que
afirmam ter recebido telefonemas no último fim de semana com mensagens
gravadas sobre o fim do Bolsa Família. De acordo com as investigações
iniciais da PF, a hipótese mais provável é que o boato tenha partido de
uma central de telemarketing com sede no Rio, via telefones celulares. A
partir de então, a onda se espalhou boca a boca em todo o país
acelerada pelas redes sociais.

Com os boatos, a Caixa Econômica
registrou 920 mil saques de beneficiários do programa, que correram ? s
agências do banco no fim de semana em pelo menos 13 estados, entre eles o
Rio. A Caixa registrou pagamentos de R$ 152 milhões referentes aos
benefícios do Bolsa Família.

A PF ainda não identificou a motivação do boato. ?Ainda
não sabemos o que motivou a boataria. Pode ser disputa política, alguém
com interesses comerciais ou até o crime organizado?, disse uma fonte
com amplo acesso ? investigação.

As testemunhas que afirmam ter recebido mensagens
gravadas sobre o fim do benefício são, por enquanto, as principais
pistas da PF para chegar aos autores dos boatos. As investigações estão a
cargo da Divisão de Crimes Cibernéticos da PF e até agora ninguém foi
indiciado.

Na terça-feira, o ministro da Justiça, José
Eduardo Cardozo levantou a suspeita de que a ação possa ter sido
?orquestrada? devido ? velocidade com que os boatos se espalharam.
Ontem, ele afirmou que seria ?leviano? afirmar que houve articulação
política.


TEMOR POR ELEIÇÃO

Tanto no PT quanto na oposição, o episódio
provocou temor em relação ? campanha eleitoral do ano que vem.
Parlamentares oposicionistas foram ? PF pedir agilidade nas
investigações. Dirigentes petistas têm pressionado por apuração rápida e
eficaz para preservar o ambiente eleitoral. ?Isso é muito grave. Os
boatos podem contaminar o processo eleitoral?, disse um dirigente.

Rio foi um dos estados mais afetados

A onda de boataria tomou conta de vários bairros
da Zona Norte do Rio, Baixada Fluminense, São Gonçalo e Campos, locais
mais afetados no estado. Assustados com a possibilidade de o programa
Bolsa Família ser suspenso, milhares de beneficiários correram ? s
agências da Caixa Econômica Federal.

Além do Rio, houve tumulto nas unidades de outros
12 estados: Pará, Piauí, Paraíba, Bahia, Pernambuco, Ceará, Maranhão,
Alagoas, Sergipe, Rio Grande do Norte, Amazonas e Tocantins.

A PM foi chamada para conter a confusão. O
governo liberou os pagamentos para quem foi ? s agências. Os
beneficiários que sacaram este mês farão a próxima retirada só em junho.

PSDB é o pai do programa

Em entrevista recente ao apresentador de TV
Carlos Massa, o Ratinho, o senador e presidente do PSDB, Aécio Neves
(PSDB-MG), afirmou que o Bolsa Família tem o ?DNA? dos tucanos. Segundo o
presidenciável, o PSDB é o verdadeiro pai do programa de assistência.

A Caixa Econômica Federal repassou ontem ?
Divisão de Crimes Cibernéticos da Polícia Federal, responsável pelas
investigações, as informações relativas aos dois primeiros saques feitos
após a disseminação do boato. Os dados podem ajudar a localizar a
origem dos rumores.

Compartilhe