Série TCA apresenta concerto da pianista francesa Hélène Grimaud

Após lotar o Teatro Castro Alves no final de
semana, com o concerto do aclamado violoncelista franco-americano Yo Yo
Ma, a Série TCA 2013 – Ano XVIII traz o concerto inédito da renomada
pianista francesa Hélène Grimaud, acompanhada da Orquestra Sinfônica da
Bahia (Osba), sob a regência do maestro Carlos Prazeres, nesta
terça-feira (14), ? s 21h. Os ingressos custam R$ 100/R$ 50 (filas de A a
P), R$ 80/R$ 40 (Q a Z) e R$ 60/R$ 30 (Z1 a Z 11).

Artista de
interpretações intensas e carismáticas, Grimaud é considerada uma das
melhores concertistas da atualidade. Para sua estreia junto ao público
baiano, ela reservou uma obra primorosa de Ludwig van Beethoven
(1770-1827), o ?Concerto para piano N° 5, op.73 em mi bemol maior?, mais
conhecido como ?Concerto do Imperador?.

A peça foi o último
concerto para piano escrito pelo compositor alemão, entre 1809 e 1811,
em Viena, na Áustria. A Série TCA é uma realização da Secretaria de
Cultura (Secult), Fundação Cultural do Estado (Funceb) e Teatro Castro
Alves.

Ravel

No mesmo programa, destaque
também para três momentos da obra impressionista do compositor francês
Maurice Ravel (1875-1937) ? ?Pavana para uma Princesa Morta? que,
segundo o autor, evoca somente a dança de uma jovem princesa na corte
espanhola, e não um lamento ou morte. Também ?Daphnis et Chloé – Suite
nº 2?, peça orquestral criada para um balé baseado em um romance
pastoral do século II. O concerto finaliza com ?Bolero?, composição de
imensa popularidade em todo o mundo, que estreou em 1928, escrita sob
encomenda para a dançarina russa Ida Rubinstein.

Artista

Intérprete
naturalmente emotiva e espiritual, que tem sucesso como artista
internacional incontestável, Hélène Grimaud considera a música uma
paixão sem limites. Nasceu em Aix-en-Provence, na França e estudou no
Conservatório Nacional Superior de Música de Paris. A sua atuação no
Midem, em Cannes, em 1987, levou o pianista e maestro Daniel Barenboim a
recomendá-la para tocar com a Orquestra de Paris, seguindo-se uma série
de concertos, incluindo a sua estreia no Festival de Piano de La Roque
d’Anthéron e um recital em Tóquio.

Desde então, tocou nos
principais palcos internacionais, tendo colaborado com três gerações de
maestros de renome como Kurt Masur, Bernard Haitink, Esa-Pekka Salonen,
Neeme Järvi, Pierre Boulez, Ricardo Chailly, Valery Gergiev e Vladimir
Jurowski. Hélène Grimaud.

Apresenta-se regularmente com
orquestras de grande prestígio, incluindo a Filarmônica de Berlim,
Orquestra do Tonhalle de Zurique, Filarmônica de São Petersburgo e
também as maiores orquestras dos Estados Unidos. Entre os numerosos
prêmios que recebeu, foi distinguida, em 2002, com o grau de Oficial da
Ordem das Artes e das Letras do Ministério da Cultura da França.

A
sua temporada 2013-2014 abrange, entre outras, uma turnê europeia com a
Orquestra Filarmônica de Viena; uma turnê na Ásia – República Popular
da China, Singapura, Malásia, Japão e Coréia; concertos na Suíça e em
Nova Iorque, com a London Philharmonic Orchestra, e a turnê na América
do Sul que, no Brasil, inclui apresentações somente em São Paulo,
Salvador e Rio de Janeiro.

Compartilhe