Brasil segue em sua pior posição histórica no ranking da Fifa

A divulgação mensal do ranking da Fifa não tem sido de boas notícias para o Brasil. Nesta quinta, a entidade divulgou a relação de maio e a Seleção continua em sua pior posição na história da lista: 19º lugar, com 902 pontos. Também não houve alteração entre os 13 primeiros colocados: Espanha (1.538), Alemanha (1.428), Argentina (1.296), Croácia (1.191), Portugal (1.163), Colômbia (1.154), Inglaterra (1.135), Itália (1.117), Holanda (1.093), Equador (1.058), Rússia (1.052), Costa do Marfim (1.008) e Grécia (986).

As únicas seleções que avançaram entre os 20 primeiros colocados foram Suíça (967) e Bélgica (953), que alcançaram a 14ª e a 15ª posição, respectivamente, deixando o México em 16º, com 945. O “top 20” é formado ainda por Uruguai em 17º (932), França em 18º (914) e Dinamarca em 20º (900).

Em abril, Luiz Felipe Scolari conseguiu sua primeira vitória desde o retorno ? Seleção: 4 a 0 sobre a Bolívia, em Santa Cruz de la Sierra. Depois, o Brasil empatou com o Chile por 2 a 2, no Mineirão. Nas duas partidas, o técnico só usou atletas que atuam no futebol nacional, já que não foram realizadas em datas reservadas pela Fifa para partidas internacionais.

Uma explicação para o péssimo desempenho da Seleção no ranking é a ausência da equipe nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014, já que é o país-sede. Assim, o time de Felipão não participa de confrontos com peso 2,5 na fórmula criada pela entidade. Por conta disso, na maioria das vezes, o time canarinho, por exemplo, só tem encarado partidas com coeficiente 1 (um). Para piorar, as confederações também têm avaliações distintas. Ao encarar um europeu ou um sul-americano, os pontos são multiplicados por um. Em duelo com um time da Oceania, apenas 0,85.

O ranking começou a ser feito pela Fifa em agosto de 1993, quando o Brasil ficou em oitavo. Porém, logo no mês seguinte a equipe de Carlos Alberto Parreira assumiu a liderança. Até junho de 1994, a Seleção oscilou entre o primeiro e o quarto lugar, mas após a conquista do tetra manteve a ponta de julho de 1994 a janeiro de 2001. Depois do penta, o Brasil retomou a hegemonia entre julho de 2002 e janeiro de 2007. Desde então, o time canarinho voltou poucas vezes ? liderança do ranking da Fifa: apenas de julho a outubro de 2009 e entre abril e maio de 2010.

A chance de recuperação do Brasil é a Copa das Confederações, que será disputada entre 15 e 30 de junho no país. Atual bicampeã do torneio, a Seleção está no Grupo A com Japão, Itália e México. A convocação de Felipão será realizada na próxima terça, no Rio de Janeiro.

Desde o retorno do pentacampeão ao comando (no lugar de Mano Menezes), a Seleção disputou cinco partidas e venceu apenas uma (a goleada sobre a Bolívia). O time conseguiu três empates (2 a 2 com Itália, 1 a 1 com Rússia e 2 a 2 com o Chile) e foi derrotado na estreia de Felipão por 2 a 1 para a Inglaterra.

Confira os 20 melhores do ranking:.

.1. Espanha 1538 Pontos.
.2. Alemanha 1428.
.3. Argentina 1296.
.4. Croácia 1191.
.5. Portugal 1163.
.6. Colômbia 1154.
.7. Inglaterra 1135.
.8. Itália 1117.
.9. Holanda 1093.
10. Equador 1058.
11. Rússia 1052.
12. Costa do Marfim 1008.
13. Grécia 986.
14. Suíça 967.
15. Bélgica 953.
16. México 945.
17. Uruguai 932.
18. França 914.
19. BRASIL 902.
20. Dinamarca 900.

Entenda como funciona a pontuação no ranking da Fifa:

Fórmula:
P = R x I x S x C

Legendas:
P = pontuação no ranking
R = pontos pelo resultado do jogo
I = importância da partida (eliminatórias, amistoso…)
S = força da seleção adversária
C = força da confederação continental

Critérios da Fifa:
R = vitórias (3 pontos); empate (1 ponto) e derrota (zero)
I = Copa do Mundo (4 pontos); Copa das Confederações ou principal torneio de cada confederação (3 pontos); eliminatórias para Copa do Mundo ou para principal torneio de cada confederação (2,5 pontos); e amistosos (1 ponto);
S = o valor 200 é atribuído a todas as seleções. O líder do ranking vale 200. Para achar o coeficiente (S) de outras equipes, o valor é subtraído da colocação do time naquele momento. Equipes abaixo da 150ª posição valem sempre 50 pontos;
C = cada confederação tem um coeficiente: Uefa e Conmebol (1 ponto); Concacaf (0,88 ponto); AFC e CAF (0,86 ponto); e OFC (0,85 ponto)

Exemplo da Seleção:
Contra a China, em amistoso, o Brasil venceu por 8 a 0 e ganhou: 314,76 pontos no ranking
R = vitória (3 pts)
I = 1 (amistoso)
S = 122 (200 – 78, já que a China estava em 78º no ranking passado)
C = 0,86

Exemplo da Argentina:
Contra o Peru, pelas eliminatórias, a Argentina empatou por 1 a 1 e ganhou: 372,5 pontos no ranking
R = empate (1 pt)
I = 2,5 (eliminatórias)
S = 149 (200 – 51 – posição do Peru no ranking passado)
C = 1

Compartilhe