Prefeitura faz ação contra dengue no bairro do Trobogy

Com índice de infestação de dengue de 4,6%, de acordo com o último levantamento da Secretaria Municipal da Saúde, o bairro do Trobogy foi alvo de ação de agentes de endemias do Centro de Zoonoses, nesta quinta-feira (2).  O bairro faz parte das áreas consideradas de risco de contaminação pela doença, que pode levar o paciente ? morte.  Os agentes reforçam que sem a participação da população não há como controlar a proliferação do mosquito Aedes Aegypit causador da dengue.

No último Levantamento Rápido para Aedes Aegypti (Lira), realizado na primeira quinzena de março, a cidade registrou um índice médio de 2,7%. Está em situação de alerta em relação ? doença. O Distrito Sanitário de Pau da Lima, que inclui a área do Trobogy, registrou uma média de 3,5%. Pelo padrão do Ministério da Saúde, o índice satisfatório é inferior a 1%. Entre 1% e 3,9%, é considerada situação de alerta. Acima de 3,9% de infestação pelo mosquito Aedes Aegypti já é situação de alto risco de infestação.

Na ação desta quinta, os agentes de endemias visitaram terrenos do bairro do Trobogy, onde detectaram alguns focos de infestação e aplicaram inseticida. De acordo com a gerente do Centro de Controle de Zoonoses, Geruza Morais, o trabalho realizado pelos agentes em campo é fundamental para identificar os casos de dengue e assegurar o combate ao mosquito transmissor da doença.

O CCZ promove também ações educativas, nas quais os agentes orientam a população a adotar as práticas de prevenção ? doença, como não deixar água parada acumular em vasos e plantas, tampar tonéis e vasilhames. Outro ponto importante é não deixar acumular materiais inservíveis nas casas.

?Sempre procuramos explicar aos moradores que eles devem fazer a limpeza de seus terrenos, garantindo a retirada de materiais que possam servir para local de proliferação do mosquito. Cada um é responsável por manter sua casa e seu terreno limpos, embora algumas pessoas pensem que isso é da responsabilidade da Prefeitura?, conta o agente Jorge Carlos Guimarães.

Além trabalho de combate ? dengue, o CCZ realiza o controle de raiva animal, com campanha anual de vacinação em agosto, e conscientização da posse responsável, para evitar o abandono dos bichos de estimação. O centro também atua no controle de roedores, causadores da leptospirose, e de atende a casos relacionados a outros animais que possam transmitir doenças aos humanos como barbeiros, pombos e caramujos.  

Compartilhe