Senador propõe novo cálculo para FGTS de domésticas demitidas

No primeiro Dia do Trabalho após a aprovação da PEC das domésticas,
que amplia os direitos das trabalhadoras do ramo no Brasil, o senador
Romero Jucá (PMDB-RR) apresentou uma nova proposta de fórmula para o
Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) das empregadas.

A sua proposta anterior era de reduzir o percentual de 40% do FGTS de
multa para 10% ou 5%. A nova sugestão apresentada é de aumentar em um
ponto percentual a taxa mensal de 8% paga pelo patrão ao FGTS da
funcionária. O valor aumentaria para 9%, e este 1% a mais iria para um
banco mensal, que serviria como uma poupança no caso de demissão.

Sendo assim, uma empregada que ganhe R$800 mensais teria um banco de
R$ 8 por mês. Sendo demitida após 50 meses de serviço, ela receberia a
quantia de R$ 400, em vez dos atuais 40% de multa sobre a contribuição
do FGTS.

A ideia tem como objetivo reduzir os gastos extras dos patrões com as
domésticas após a aprovação da nova PEC. Além disso, Jucá também
sugeriu uma redução de 12% para 8% da contribuição patronal do Instituto
Nacional de Seguro Social (INSS).

Compartilhe