Vacinação contra febre aftosa na Bahia começa nesta quarta-feirag

Desta quarta-feira (1º) até 31 de maio, todos
os pecuaristas devem vacinar seu rebanho, declarar a vacinação e
atualizar o cadastro nos escritórios da Agência de Defesa Agropecuária
da Bahia (Adab), da Secretaria da Agricultura (Seagri), estrategicamente
localizados nos municípios baianos. Nesta etapa, a vacinação é
obrigatória para todo o rebanho de bovinos e bubalinos ? jovens e
adultos ? do estado.

Os rebanhos que estão nos municípios que
decretaram estado de emergência por causa da seca e que não possuem
condições mínimas de serem vacinados, com deficiências nutricionais,
terão a vacinação facultativa. Para isso, os criadores devem comparecer,
obrigatoriamente, aos escritórios da Adab para solicitar dispensa da
vacinação, declarar o quantitativo de animais existentes por espécie
(bovinos, bubalinos, caprinos, ovinos, equídeos e aves) e,
principalmente, informar as mortes e nascimentos ocorridos no período da
seca.

?A equipe da agência vai analisar as solicitações dos
produtores nestas áreas, orientando-os sobre a necessidade de vacinar os
animais assim que seja restabelecida a normalidade climática ou a
melhoria do escore corporal dos animais e quando necessitar
transportá-los para fora do estado ou para eventos pecuários?, orienta o
diretor de defesa sanitária animal da Adab, Rui Leal. Ele afirma que a
nova estratégia de vacinação foi definida para esta primeira etapa de
imunização de 2013 por meio da Instrução de Serviço DDSA 03/2013, da
agência.

Diante do cenário causado pela seca, o diretor-geral da
Adab, Paulo Emílio Torres, ressalta que, em posse destas informações,
será possível mensurar os prejuízos da seca para a pecuária baiana, além
de planejar e estabelecer estratégias direcionadas para o
fortalecimento da defesa agropecuária. ?Lembro ainda que o período para a
imunização não será prorrogado e o criador tem até 15 dias,
contabilizados após a vacinação, para a declaração?.

Para o
secretário estadual da Agricultura, Eduardo Salles, a parceria com o
Ministério da Agricultura foi fundamental para direcionar de forma
segura as ações de defesa sanitária no estado durante o período da seca.
?A Bahia entende as atividades de defesa como um alicerce para o
sucesso da agropecuária e manutenção do status sanitário de livre da
aftosa com vacinação. Daí os investimentos em tecnologia, convênios,
cooperação pública e privada, bem como a corresponsabilidade dos
criadores na necessidade da vacinação dos animais e sua posterior
declaração?.

Forte vocação agropecuária

?A
Bahia possui o maior rebanho do Nordeste, com mais de 11 milhões de
cabeças, e ao longo dos anos tem demonstrado uma forte vocação
agropecuária, refletida pelos crescentes indicadores de produtividade e a
diversificação e comercialização de produtos e serviços. Isso se dá
devido ao respaldo garantido pela defesa agropecuária no desenvolvimento
do agronegócio?, declara a superintendente federal da Agricultura na
Bahia, Virgínia Hage.

O presidente da Federação da Agricultura do
Estado da Bahia (Faeb), João Martins, também apoia as atividades da
Adab e destaca que a Seagri, através da agência, vem cumprindo com o seu
papel de dar suporte ao Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da
Febre Aftosa.

Compartilhe