Roberto Gurgel: ‘Genoino e Cunha não deveriam estar na Câmara’

Roberto Gurgel, procurador-geral da República, declarou que os
deputados federais João Paulo Cunha (PT-SP) e José Genoino (PT-SP),
condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento do
mensalão, não deveriam estar na Câmara.

O procurador destaca que, ao final do processo do mensalão, pediu a
prisão imediata dos dois condenados: “Eles estão, os dois parlamentares,
no exercício do mandato parlamentar. Na visão da Procuradoria Geral da
República, não deveriam estar. Lembrem que, quando o julgamento do
mensalão foi concluído, eu pedi que o Supremo Tribunal Federal
determinasse a imediata execução do julgado em todos os seus aspectos.
Isso incluiria a impossibilidade de exercício do mandato parlamentar por
pessoas condenadas naquele julgamento”.

Os advogados de Genoino e Cunha defendem que os deputados tem o
direito de estarem na Câmara pois ainda não estão esgotadas as
possibilidades de recurso e o processo não está encerrado.

Compartilhe