Embasa promove ?racionamento camuflado? em Salvador

O vice-líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputado Bruno Reis (PRP), afirmou hoje (17) que a Embasa está promovendo um ?racionamento camuflado? em Salvador. Ele contou que tem recebido várias denuncias de associações comunitárias da capital baiana relatando a suspensão freqüente do fornecimento, o que nega a informação divulgada pelo presidente da empresa, Abelardo de Oliveira Filho, de que a cidade não passa por nenhum racionamento, a exemplo do que acontece na Ilha de Itaparica.

?Tem muito bairro em Salvador onde só tem vento no encanamento. Água que é bom nada. Isso demonstra que há sim racionamento. O presidente da Embasa diz que não, mas a realidade é outra em muitos bairros, onde a falta de água é uma constante e freqüente?, disse Bruno Reis.

?Isso acontece por conta da falta de investimento na ampliação da rede, já que a Embasa e o governo querem que o consumidor pague a conta, com o aumento exorbitante das tarifas, por uma prestação de serviço que está entre as piores do país. A gente paga uma conta que está entre as mais altas do país e não há ampliação nem melhoria dos serviços?, acrescentou o deputado.

Prejuízos ? Bruno Reis citou como exemplo da falta de gestão da Embasa o prejuízo que a empresa teve pela não conclusão das obras de ligação domiciliares ao emissário submarino de Salvador. ?O emissário foi construído através uma Parceria Público-Privada (PPP). Mesmo não recebendo novas ligações de esgoto, que seriam a fonte de receita da Embasa, a empresa administrada pelo governo do estado estaria obrigada a iniciar o pagamento das contraprestações ? concessionária, gerando um enorme prejuízo?, esclareceu o parlamentar.

Compartilhe