Papa Francisco cria grupo de cardeais para estudar reforma da Igreja

Um mês após sua eleição para suceder Bento XVI, que renunciou ao
pontificado no dia 28 de fevereiro, o papa Francisco criou um grupo de
oito cardeais de todos os continentes para “aconselhá-lo no governo da
Igreja” e estudar um projeto de reforma da Constituição da Cúria. A
criação do grupo foi anunciada hoje (13), em comunicado da Secretaria de
Estado do Vaticano.

Com isso, o papa inicia a reforma, depois de um período inicial em que
se manteve discreto acerca desses assuntos, enquanto defendia uma Igreja
misericordiosa, pobre e missionária.

Os cardeais nomeados são dois europeus, dois latino-americanos, um
norte-americano, um indiano, um congolês e um australiano. Alguns deles
apareciam, antes do conclave que elegeu Francisco, entre os prováveis
sucessores do papa Bento XVI.

Os cardeais vão trabalhar na revisão da Constituição Apostólica Pastor Bonus, do papa João Paulo II, na Cúria Romana.

Segundo o comunicado do Vaticano, a primeira reunião do grupo será de
1º a 3 de outubro, mas o papa já está em contato com os oito cardeais.

O porta-voz da Santa Sé, padre Federico Lombardi, disse hoje, em
entrevista coletiva, que o papa Francisco mostrou ter recebido as
sugestões feitas pelo Colégio Cardinalício durante as Congregações
Gerais, na preparação do conclave que o elegeu no mês passado. De acordo
com Lombardi, o grupo de cardeais foi “convocado para aconselhar”, mas
quem realmente ajuda o papa a governar a Igreja, todos os dias, é a
Cúria Romana, com seus colaboradores estáveis e permanentes.

Compartilhe