Renan anuncia cortes no Senado e diz ‘nenhum Poder é mais transparente que o Legislativo’

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou nesta terça-feira algumas medidas para redução de custos da Casa. Com as reformas administrativas, o Senado deve economizar R$ 262 milhões por ano. Calheiros também divulgou a criação da Secretaria de Transparência e Controle Social, com a função de divulgação e prestação de contas sobre o trabalho do Senado.

“Queremos mostrar que nenhum Poder é mais transparente que o Legislativo”, afirmou Calheiros.

Dentre as medidas, está a extinção de 500 cargos de confiança e assessoramento, que poupará R$ 26 milhões. Serviços de terceirização e vigilância também terão redução de 20%, com expectativa de R$ 66 milhões de economia.

“Vamos cada vez mais diminuir o gigantismo do Senado. O que aprovamos foi um conjunto de medidas visando a racionalidade administrativa e o fim de redundâncias e desperdícios”, anunciou o presidente da Casa.

Outro ponto a ser mudado é o serviço médico disponível. Atualmente, os funcionários da Casa podem marcar consultas e inclusive internações, mesmo contando com o benefício de plano de saúde. Para Calheiros, o serviço é “indefensável”, e o serviço deverá atender somente emergências.

“O Senado proporciona uma estrutura integralmente mantida pelos cofres públicos. E o que acontecia na prática? Todos os servidores do Senado Federal têm um plano de saúde. E o Senado prestava assistência ambulatorial sem que essa assistência fosse ressarcida pelo plano de saúde. E, no final do ano, o Senado ainda tem que completar o orçamento do próprio plano de saúde. Essa redundância acabou, não vai continuar”, afirmou.

Com a medida, 117 concursados para a área de segurança e 42 para a de assistência social deixarão de ser chamados.

O projeto de reforma administrativa foi aprovado durante a gestão ao antigo presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP). As propostas ainda precisarão ser apresentadas ao plenário em 30 dias para serem aprovadas.

Compartilhe