Processo de eleição de sucessor de Bento XVI não tem prazo para conclusão

O processo de escolha do sucessor de Bento XVI, que reuniará ao
pontificado no dia 28 de fevereiro, pode levar de horas a meses. Para os
especialistas, é impossível prever quanto tempo durará o conclave.
A eleição depende de dois terços do total de cardeais. Pelo menos 117
estarão apostos para votar e o clima de mistério cerca o momento até o
último momento, quando o nome do sucessor é revelado

No passado, houve casos em que a eleição de um novo papa levou mais
de dois anos e meio. Após a morte de Clemente IV, o conclave levou 33
meses para eleger um sucessor.

Foi necessário que uma das autoridade fechasse os cardeais no Palácio
dos Papas, na cidade italiana de Viterbo, para pressionar pela busca de
um consenso. Os religiosos chegaram a ter a alimentação suspensa e o
local onde estavam foi destelhado.

A Igreja Católica Apostólica Romana chegou a ficar três anos, sete
meses e um dia sem um papa, entre 26 de outubro de 304 e 27 de maio de
308, na sucessão de Marcelino II para Marcelo I.

Compartilhe