Senado terá que decidir sobre operações de crédito que chegam a US$ 1,5 bilhão

Assim que retomar os trabalhos legislativos na terça-feira (19), o
Senado terá que votar operações de crédito de cinco estados com
instituições financeiras internacionais que somam US$ 1,5 bilhão. Os
recursos, que recebem a garantia do governo federal, serão repassados a
Santa Catarina, ao Paraná, ao Rio Grande do Sul e Ceará.

As mensagens presidenciais estão na pauta da Comissão de Assuntos
Econômicos (CAE). Uma vez aprovadas, seguem para a análise do plenário
do Senado. É possível que a votação das mensagens sejam adiadas para a
reunião da CAE do dia 26 pois, na próxima semana, serão apreciados os
nomes indicados pelos partidos dos presidentes e vices das 11 comissões
permanentes.

Caberá a Santa Catarina o maior valor do total de autorizações para
operações de crédito externo. O estado deve ter liberado um total de US$
976,4 milhões, a ser contratado com diferentes instituições.

Com o Bank of America, o governo catarinense deve tomar um
financiamento até US$ 726,4 milhões. Os recursos servirão para o
refinanciamento de um resíduo da dívida do estado. Também está prevista
autorização para que Santa Catarina tome US$ 250 milhões no Banco
Interamericano de Desenvolvimento (BID). Os recursos têm como destino o
financiamento parcial do programa rodoviário em execução.

Ao Paraná está pendente a autorização do Senado para que o governo
estadual tome um empréstimo de US$ 350 milhões no Banco Internacional
para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird). Os recursos terão como
destino o financiamento parcial do Projeto Multissetorial para o
Desenvolvimento do Paraná.

O governo do Rio Grande do Sul depende da autorização do Senado para
contratar, no BID, US$ 200 milhões. O dinheiro será usado no
financiamento do Programa de Consolidação do Equilíbrio Fiscal do Estado
do Rio Grande do Sul.

O governo do Ceará pleiteia a autorização de operação financeira com
o Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (Fida) de 20,6
milhões em Direitos Especiais de Saque (SDR), em valores atuais de US$
30,9 milhões. Na mesma mensagem presidencial consta ainda empréstimo de
5,9 milhões de euros ? US$ 7,9 milhões em valores atualizados ? que
serão destinados ao Projeto de Desenvolvimento Produtivo e de
Capacidades em execução.

Compartilhe