Autuações eletrônicas mostram aumento de riscos ao pedestre

O superintendente da Transalvador, Fabrizzio Muller, avaliou como preocupantes os dados sobre as autuações eletrônicas registradas na Operação Carnaval, nos 80 pontos de fotossensores instalados na cidade. Do total de 6945 autuações feitas, desde quinta-feira (7) até sábado (9), 63,41% foram por excesso de velocidade. Segundo Muller, isso mostra que o motorista não reduz a velocidade sequer nos locais onde a segurança do pedestre deve estar assegurada. ?Vamos reforçar o controle?, garantiu.

As infrações, neste caso, podem ser de natureza média, grave ou gravíssima, No caso de natureza média, em que excesso chega até 20% acima da velocidade máxima permitida, a multa é de R$ 85,00. Segundo o artigo 267, Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a depender do histórico do infrator, pode ser convertida em advertência.

Quando a velocidade excedente varia entre mais de 20% a 50% do permitido, a infração é grave, com multa de R$ 191,27. Em caso de natureza gravíssima, ultrapassando mais de 50% do limite permitido, o valor da multa é R$ 574,81.

Em segundo lugar, no ranking de autuações eletrônicas no Carnaval, aparecem os avanços de semáforo, correspondendo a 30,95% dos registros. Por último, estão as autuações de veículos, que param sobre a faixa de pedestres nas sinaleiras, com 5,6%. Os fotossensores em operação em Salvador são equipamentos híbridos, que permitem capturar o avanço de sinal, parada sobre a faixa e também o excesso de velocidade.

Compartilhe