Central já iniciou vistorias em 42 trios e carros de apoio

Com todos os órgãos envolvidos na liberação de entidades e veículos para desfilar nos circuitos oficiais do Carnaval de Salvador já funcionando plenamente, a Central de Vistorias já iniciou o processo de liberação de 42 trios elétricos e carros de apoio e de 57 blocos e afoxés. A central está montada no Parque de Exposições, na Avenida Paralela, desde o último dia 23 e vai funcionar até a próxima sexta-feira (08). A expectativa da Empresa Salvador Turismo (Saltur), que coordena o espaço, é de que sejam vistoriados de cem a 110 veículos.

De acordo com o secretário municipal de Desenvolvimento, Turismo e Cultura (Sedes), Guilherme Bellintani, ?o movimento ainda é fraco, mas está tudo pronto para receber os trios elétricos e carros de apoio. Nós esperamos que as entidades carnavalescas não deixem tudo para a última hora, a fim de evitar problemas com a liberação e com o desfile nos circuitos da festa?. Ele esteve no local e confirmou que todos os envolvidos já estão com estandes montados e em pleno funcionamento.

Durante a vistoria, são analisados os itens de segurança, condições mecânicas e operacionais, equipamentos de prevenção e combate a incêndios, pneus e protetores de rodas, sistemas de freio, documentação do veículo e do condutor e estrutura do posto médico. Além disso, sanitários e lanchonetes precisam atender ? s normas da Vigilância Sanitária.

Para obter o aval para desfilar, entidades e veículos também têm que estar quites com taxas e impostos, o que pode ser resolvido na própria central. ?O serviço de vistoria garante que os veículos circulem nas melhores condições possíveis nos circuitos, dando maior segurança aos foliões?, explicou o secretário.

Para o major Antônio Sampaio, que coordena a central há 14 anos, o fraco movimento nesses primeiros dias jê era esperado. Mesmo assim ele reforça o apelo do secretário para que as entidades antecipem ao máximo o início da liberação. ?historicamente, sabemos que os grandes blocos, com maior estrutura e capacidade financeira, se antecipam e resolvem tudo com antecedência. O problema são as pequenas entidades, que só alugam os veículos ? s vésperas da festa para economizar diárias, mas se houver algum problema eles têm menos tempo hábil para corrigir?, alertou.

Para licenciar um trio ou carro de apoio, o proprietário precisa passar pelo crivo de quatro órgãos técnicos ? Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agrimensura (Crea); Departamento de Polícia Técnica (DPT); Corpo de Bombeiros; e Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Participam também do processo, a Secretaria de Ordem Pública (Seop), as secretarias estadual e municipal da Fazenda e da Saúde, Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) e Departamento de Polícia Metropolitana (Depom) também atuam na fiscalização.

Compartilhe