PSDB acusa Dilma de fazer campanha em discurso

O pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff, vinculado na TV e no rádio na noite desta quarta-feira, gerou uma discussão entre petistas e tucanos. Em nota, o presidente nacional do PSDB, Sergio Guerra, afirmou que o governo do PT cometeu a “mais agressiva utilização do poder público em favor de uma candidatura e de um partido político”.

O tucano declarou que o discurso da presidenta foi o lançamento precipitado de sua campanha ? reeleição: “Em vez de assumir suas responsabilidades de gestora, fazendo o governo produzir, o que se vê é o lançamento prematuro de uma campanha ? reeleição, ? s custas do uso da máquina federal e das prerrogativas do cargo presidencial”, disse Guerra, em nota.

Sem citar nomes, Dilma criticou “os pessimistas” e os que são “do contra” em seu discurso, para citar os que não aprovaram o plano de redução das tarifas de energia elétrica anunciado pela presidenta. As companhias energéticas que rejeitaram o acordo foram a Cesp (São Paulo), Cemig (Minas Gerais), Copel (Paraná) e Celg (Goiás), todas de estados governados pelo PSDB, principal partido de oposição.

“Neste novo Brasil, aqueles que são sempre do contra estão ficando para trás, pois nosso país avança sem retrocessos, em meio a um mundo cheio de dificuldades. Hoje, podemos ver como erraram feio, no passado, os que não acreditavam que era possível crescer e distribuir renda. Os que pensavam ser impossível que dezenas de milhões de pessoas saíssem da miséria. Os que não acreditavam que o Brasil virasse um país de classe média. Estamos vendo como erraram os que diziam, meses atrás, que não iríamos conseguir baixar os juros nem o custo da energia, e que tentavam amedrontar nosso povo”, afirmou a presidente.

Para Guerra, o pronunciamento se aproximou de uma “peça publicitária”, tendo um viés político-partidário: “O conceito de República foi abandonado. A chefe da Nação, que deveria ser a primeira a reconhecer-se como presidente de todos os brasileiros, agora os divide em dois grupos: o ‘nós’ e o ‘eles’. O dos vencedores e o dos derrotados. Os do contra e os a favor”.

Provável candidato do PSDB ? Presidência, o senador Aécio Neves também se pronunciou sobre o discurso de Dilma: “Falou ? Nação não a presidente da República, mas um partido político (?) registro meu pesar por este triste marco de quebra do princípio da impessoalidade no exercício da Presidência da República”, declarou Aécio.

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, encarou a posição dos tucanos com ironia, e também retrucou a nota do PSDB: “Como a presidenta Dilma não citou partidos nem adversários em seu pronunciamento, creio que os tucanos vestiram a carapuça, pois se identificaram com a referência da presidente Dilma ? queles ?que são sempre do contra? e que ?estão ficando para trás?”, disparou Falcão.

Compartilhe