Secretaria usa videomonitoramento para enfrentar problemas sociais

O atendimento ? s pessoas que moram nas ruas ou que estão em situação de
vulnerabilidade social será agilizado pela Secretaria de Promoção Social
e Combate ? Pobreza (Semps) com o uso do videomonitoramento. A partir
de hoje (21), as ações, os movimentos e o comportamento dessa parcela da
população passarão a ser acompanhados em tempo real com a utilização
das 42 câmeras de alta resolução da Companhia de Governança Eletrônica
de Salvador (Cogel), a partir da Central de Operações do órgão,
instalada no bairro de Ondina.

?Um funcionário da secretaria fará
o monitoramento através das câmeras e tão logo constate algum problema
com moradores de rua, perceba crianças e adolescentes trabalhando
irregularmente ou em situação de mendicância, prostituição ou tráfico,
imediatamente acionará as equipes de abordagem, que irão ao local
indicado e tomarão as providências necessárias, prestando orientação e
promovendo o acolhimento e abrigamento dessas pessoas. Essa parceria com
a Cogel facilitará sobremodo o nosso trabalho?, explicou o secretário
Maurício Trindade.

De acordo com recente levantamento realizado
pela Prefeitura Municipal de Salvador, através da Secretaria de Promoção
Social e Combate ? Pobreza, existem na capital baiana 3.200 pessoas
morando nas ruas pelos mais diversos motivos. Para melhorar a vida
dessas pessoas, a Semps realiza diversas ações de forma permanente,
oferecendo abrigo e atendimento nas quatro unidades em funcionamento,
que são um albergue, uma casa de pernoite e dois Centros Pop.

Com
a utilização das câmeras da Cogel, a demanda dos centros de acolhimento
deve crescer significativamente, aumentando a necessidade de novas
vagas. Pensando nisso, Maurício Trindade anuncia como prioridades de sua
gestão a construção de dez Casas de Passagem, para abrigar moradores de
rua até que retornem para seus lares, com 50 vagas cada; 19 Abrigos
Institucionais, com 50 pessoas por unidade; e, finalmente, cinco
Repúblicas, com dez moradores por unidade.

?Para que possamos
construir o mais rápido possível essas 34 novas unidades, garanti a
verba necessária junto ao Ministério do Desenvolvimento Social. Com
isso, poderemos atender dignamente mais 1.300 pessoas das mais variadas
idades e que estão em situação de rua, corrigindo um grave problema
social que enfrentamos atualmente em Salvador?.

Compartilhe