Exportações baianas crescem e já representam 60% do Nordeste

Com o recorde histórico alcançado pelas vendas externas baianas em
2012, de US$ 11,27 bilhões, a Bahia cresceu sua participação nas
exportações do Nordeste e já responde por 60% do total da região,
consolidando sua liderança. Os dados são da Coordenação de Comércio
Exterior da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia
(SEI).

Mesmo com os efeitos da crise internacional, como
queda de preços, retração de mercados e o aumento das medidas
protecionistas, as exportações baianas cresceram 2,3% no ano passado em
relação a 2011, graças ao desempenho das commodities agrícolas e
minerais e do aumento das vendas para a Ásia, lideradas pela China.

O
país asiático foi o principal mercado para as exportações estaduais,
com US$ 1,53 bilhão em compras ou 13,6% das vendas externas da Bahia.
Mesmo com queda de 5,1%, os EUA vieram na segunda posição, com 12,3% de
participação.

Os setores que mais contribuíram para o desempenho
positivo das exportações em 2012 foram o de petróleo e derivados, com
crescimento de 9%, o de soja e derivados, com aumento de 11,6%, algodão,
com 7,2% e o de metais preciosos, com 4,3%.

Abertura comercial

O
estado também ampliou sua fatia no total das exportações brasileiras de
4,28% em 2011 para 4,64% em 2012. Nos últimos 10 anos, as exportações
baianas cresceram em média 16,7% ao ano, evidenciando ser a Bahia um dos
estados que mais se beneficiaram da abertura comercial, dadas as suas
inequívocas vocações e a competitividade de alguns dos segmentos
implantados no estado.

As importações baianas no ano passado
atingiram US$ 7,76 bilhões, com um crescimento de 0,2% sobre 2011. Com
esses resultados, o estado contribuiu positivamente com US$ 3,51
bilhões, para o superávit da balança comercial brasileira, 7,2% acima do
ano anterior.

Compartilhe